17 de maio de 2022
Eleições 2012

Em Goianésia: Gilberto Naves desiste de reeleição

Cenário de definições políticas em Goianésia. O prefeito da cidade, Gilberto Naves (PMDB), decidiu na última quarta-feira (06) desistir de candidatura à reeleição. A informação é do jornal Diário do Norte.

Leia a reportagem completa.

 

Continua após a publicidade

Gilberto Naves decide não concorrer à reeleição


Após deixar todos os seus companheiros com o benefício da dúvida, o prefeito Gilberto Naves (PMDB) enfim, falou com todas as letras que não será candidato à reeleição em outubro. O anúncio foi feito na manhã de quarta-feira (6) durante inauguração da reforma de uma creche. Após dramático apelo do presidente do PPS, Orcedino Wenceslau, que “convocou” Gilberto a encarar mais uma disputa, o prefeito usou a palavra e afirmou que não irá rever seu pensamento. “A decisão (de não concorrer) não é de agora. Vem do começo do mandato. Chegou a hora de passar o bastão”, disse.
“Deus me deu a missão de governar Goianésia com entusiasmo até o último dia de mandato. Peço a compreensão do povo. Meu sentimento é de gratidão. Olho para trás e vejo o tanto que conquistamos, só tenho a agradecer”, discursou. Mais do que o som das palavras, Gilberto está se fazendo ouvir por ações. Com seu nome fora do páreo, tratou de fornecer munição para seus dois principais candidatos a receber o bastão: o vice-prefeito Renato de Castro (PTB) e o ex-secretário de Infraestrutura, Giovani Machado (PMDB). Machado, inclusive se descompatibilizou do cargo na terça-feira (5), visando concorrer no próximo pleito a prefeito ou a vice-prefeito. Giovani tem sido apresentado como pré-candidato a prefeito com a bênção de Gilberto. Caso seu nome for homologado, será a segunda vez que ele enfrenta uma disputa no Executivo. Renato é exaltado em todos os atos públicos por Gilberto. Preterido na chapa, o PT promete bancar a candidatura do dentista Antônio Otoni. Com Gilberto fora do páreo, o PDT, partido que sempre caminhou com o PMDB já formalizou apoio ao projeto petista. Mais siglas podem se aliar a Otoni, caso as decisões políticas de agora sejam confirmadas em 30 de junho, prazo limite para as convenções municipais. Sonho decantado em verso e prosa desde 1992, o sonho de se emplacar uma terceira via forte, pode ter, enfim, seu momento de glória. Sem Otavinho (PSDB) e Gilberto no embate, forças intermediárias podem se encorpar e arregimentar soldados em número suficiente para formar uma terceira fileira política. Antônio Otoni pretende capitalizar com as insatisfações dos dois grupos políticos e reforçar seu palanque, que até agora recebeu o apoio do expressivo PDT. (Diário de Norte)

Leia mais sobre:
Eleições 2012