18 de abril de 2024
INÍCIO EM PAZ • atualizado em 16/02/2024 às 16:25

Em clima de serenidade entre Poderes, ano legislativo começa na Alego

Mensagens de afago institucional e otimismo foram trocadas; mas frase do governador sobre vaidade chamou atenção
Governador e presidente da Assembleia na primeira sessão de 2024 - Foto: Agência Assembleia de Notícias - Hellenn Reis
Governador e presidente da Assembleia na primeira sessão de 2024 - Foto: Agência Assembleia de Notícias - Hellenn Reis

A solenidade de abertura do ano legislativo na Assembleia Legislativa de Goiás (Alego) nesta quinta-feira (15) foi oportunidade para mensagens de afago institucional e otimismo sobre a relação entre os poderes. Mas também foi para observações, de certa forma, fora do script do evento.

Por exemplo, o presidente da Alego, Bruno Peixoto (UB), surpreendeu ao microfone, jogando a toalha na disputa interna para ser pré-candidato à prefeitura de Goiânia (clique e leia).

Caiado fala sobre pecado da vaidade

Já o governador Ronaldo Caiado (UB) agradeceu todos os Poderes e, quando já se esperava o fim de seu discurso, retomou o fôlego. Ele foi falar sobre o caminho perigoso da vaidade. Sem especificar a quem, ou sobre o que se referia, afirmou: “A vaidade é o pecado que o diabo mais gosta. É a vaidade que destrói o homem público”.

Protocolo

Essa sessão inaugural do ano, no caso, do 2º ano da 20ª Legislatura, geralmente é protocolar. É um espaço para que o governador entregue sua mensagem anual dirigida ao Poder Legislativo.

No início da sessão, uma comissão composta pelos deputados Renato de Castro (UB), Coronel Adailton (Solidariedade) e Bia de Lima (PT) acompanhou o governador Caiado até a mesa diretiva. Enquanto isso, Talles Barreto (UB), André do Premium (Avante) e Veter Martins (PRD) conduziram o presidente do Tribunal de Justiça, desembargador Carlos Alberto França.

Mas a sessão inaugural também é espaço para indicar o nível do relacionamento entre Legislativo, Executivo, Judiciário e órgãos fiscalizadores, como Ministério Público e Tribunais de Contas. Não à toa, os presidentes e chefes deles estavam todos presentes. E o nível pareceu muito tranquilo entre as autoridades.

Simpatia foi geral

Houve troca de elogios e citações simpáticas a todos. Até mesmo o deputado da oposição escalado para discursar, Paulo César Martins (PL), foi ameno e, inclusive, elogioso à gestão de Caiado.

“Não posso fazer oposição com o fígado”, disse o parlamentar. Depois reconheceu a boa avaliação do governador. Suas poucas ponderações e críticas disseram respeito a promoção de policiais, superlotação de hospitais de urgência e a necessidade de mais investimento na malha viária. “Críticas construtivas fazem parte da democracia”, afirmou o liberal que foi chamado quando já descia da Tribuna, porque o governador queria cumprimentá-lo.

O deputado Renato de Castro (UB) fez um discurso representando a base de Caiado e direcionou o início para elogiar a gestão do colega Bruno Peixoto.

Aprovação de Caiado é destacada

Depois, se debruçou nas pesquisas que dão ao governador aprovação superior a 80%, “porque tem cumprido o plano de governo desde 2018”. Castro enumerou a descentralização da Saúde pelas policlínicas, ações para a Educação e para a Segurança Pública, como diferenciais que, para ele, colocam Caiado bem na postulação à presidência da República em 2026.

Na sua vez de discursar, logo depois de Bruno Peixoto (clique e leia), Ronaldo Caiado fez uma deferência ao presidente da Alego “que conseguiu marcas históricas, como se eleger e reeleger presidente”.

Mensagem do governador

Caiado agradeceu aos parlamentares por terem se envolvido na discussão e aprovação de várias leis importantes para seu governo durante 2023. Também disse que convocou todo o secretariado para prestigiar a sessão como demonstração do respeito e da boa relação que busca com o Legislativo.

Em um discurso que durou mais do que a somatória dos três que lhe antecederam, o governador aproveitou o espaço e fez um balanço de sua gestão. Discorreu em detalhes sobre os investimentos na Região Nordeste de Goiás, e em áreas como a Educação, a Infraestrutura e a Saúde. “Esperamos concluir o Cora (Complexo Oncológico) em dezembro e fazer a primeira cirurgia em janeiro de 2025”, anunciou.

Ronaldo Caiado afirmou que pretende investir R$ 15 bilhões em obras viárias e pontes. Mas foi na questão da Segurança Pública onde mais se deteve, repetindo os números que apontam para a queda na criminalidade em práticas como latrocínio (roubo seguido de morte), sequestro, assaltos a banco, e roubos, entre outros.


Leia mais sobre: / / / Notícias do Estado / Política

Marília Assunção

Jornalista formada pela Universidade Federal de Goiás. Também formada em História pela Universidade Católica de Goiás e pós-graduada em Regulação Econômica de Mercados pela Universidade de Brasília. Repórter de diferentes áreas para os jornais O Popular e Estadão (correspondente). Prêmios de jornalismo: duas edições do Crea/GO, Embratel e Esso em categoria nacional.