18 de abril de 2024
Investigações

Em Caldas Novas, 10 pessoas foram indiciadas por ligações com homicídios conexos

As vítimas, Wélio Alves Guimarães e Welton Alves Guimarães, são irmãos e possuíam envolvimento com o tráfico de drogas
Segundo as investigações, os crimes foram motivados por disputas entre facções. (Foto: PCGO).
Segundo as investigações, os crimes foram motivados por disputas entre facções. (Foto: PCGO).

O Grupo de Investigação de Homicídios (GIH) de Caldas Novas concluiu nesta semana duas investigações ligadas aos crimes de homicídio e organização criminosa. No primeiro fato, foram indiciadas três pessoas e no segundo fato foi feito o indiciamento de sete pessoas. O primeiro crime foi um duplo homicídio ocorrido em 2022. Já o segundo refere-se a um homicídio que ocorreu em 2023. Ambos os crimes foram praticados no bairro Estância Itapuã, em locais bem próximos.

As vítimas, Wélio Alves Guimarães e Welton Alves Guimarães, são irmãos e possuíam envolvimento com o tráfico de drogas. O modo de agir nos dois casos também foi bem semelhante: várias pessoas armadas invadiram os imóveis onde as vítimas residiam e as mataram no interior das casas. Segundo as investigações, os crimes foram motivados por disputas entre facções na tentativa de demonstração de poder e pelo controle do tráfico de drogas.

Responsáveis pelos homicídios

No tocante ao crime ocorrido em 2022, foram identificados os três executores que são detentores de registros criminais anteriores. Esses três autores foram indiciados no inquérito principal e um deles também foi indiciado em outro inquérito destinado a investigar organização criminosa.

Os executores do segundo crime, ocorrido em 2023 também foram indiciados pelo crime de maus-tratos a animal, na modalidade qualificada, por terem provocado a morte de um cão existente na casa, ao alvejá-lo com projétil de arma de fogo, gerando intenso sofrimento ao animal. Esses investigados possuem registros criminais pretéritos e alguns deles também foram indiciados em outra investigação pelo crime de organização criminosa.

Durante as investigações, a Autoridade Policial representou pela decretação da prisão temporária dos investigados, pleito que foi acolhido pelo Poder Judiciário, com manifestação favorável do Ministério Público.


Leia mais sobre: / / / / Cidades

Elysia Cardoso

Jornalista formada pela Uni Araguaia em 2019