12 de agosto de 2022
Reta final • atualizado em 03/08/2022 às 17:26

Em busca de candidatura única a senador, Alexandre Baldy se reúne com Ronaldo Caiado

Na pauta do encontro, estiveram as demandas de Bela Vista de Goiás, mas, a dois dias das convenções, não teve como a disputa pelo Senado ficar de fora
Alexandre Baldy ao lado do governador Ronaldo Caiado e da prefeita de Bela Vista de Goiás, Nárcia Kelly (Foto: Reprodução)
Alexandre Baldy ao lado do governador Ronaldo Caiado e da prefeita de Bela Vista de Goiás, Nárcia Kelly (Foto: Reprodução)

O presidente do Progressistas em Goiás, Alexandre Baldy, se reuniu, na tarde desta quarta-feira (03/08), com o governador Ronaldo Caiado (União Brasil). Ele estava acompanhado do seu irmão e secretário de Indústria e Comércio, Joel Sant’Anna Braga, do deputado federal Adriano do Baldy e da prefeita de Bela Vista de Goiás, Nárcia Kelly, todos do mesmo partido.

Oficialmente, na pauta do encontro, estiveram as demandas de Bela Vista de Goiás, mas, a dois dias das convenções partidárias, não teve como a disputa pelo Senado ficar de fora, conforme apurou o Diário de Goiás. Progressistas e União Brasil farão seus eventos na sexta-feira (05/08). O primeiro, às 10 horas, e os segundo, às 15 horas.

Baldy, que também se encontrou com a primeira-dama, Gracinha Caiado, é pré-candidato a senador pela base caiadista, assim como o deputado federal Delegado Waldir (União Brasil). Após as desistências do deputado federal Zacharias Calil (União Brasil) e do presidente da Assembleia Legislativa, Lissauer Vieira (PSD), eles são os únicos aliados de Caiado que sobraram na corrida eleitoral.

Continua após a publicidade

LEIA TAMBÉM: Não farei pressão política em Caiado, diz Baldy sobre candidatura ao Senado

Nos bastidores, o presidente do estadual do Progressistas, embora não faça pressão publicamente, está articulando para ser candidato único. No entanto, devido ao desempenho de Delegado Waldir nas pesquisas e ao cenário de candidaturas isoladas permitido pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), a avaliação é de que é praticamente impossível convencê-lo a desistir.