22 de maio de 2024
Destaque 2 • atualizado em 05/04/2021 às 18:21

Elias Vaz solicita auditoria nos gastos das férias de Bolsonaro durante carnaval em Santa Catarina

Elias Vaz quer auditoria nos gastos de férias do presidente da República. Foto: divulgação/Câmara dos Deputados.
Elias Vaz quer auditoria nos gastos de férias do presidente da República. Foto: divulgação/Câmara dos Deputados.

O deputado federal Elias Vaz (PSB-GO) apresentou à Câmara Federal uma PFC (Proposta de Fiscalização e Controle ) com o objetivo de solicitar ao TCU (Tribunal de Contas da União) auditoria nos gastos não só das férias do presidente Bolsonaro, mas também da viagem que ele fez com a família durante o Carnaval ao litoral de Santa Catarina, de 13 a 16 de fevereiro.

“Queremos saber os detalhes das despesas do presidente, dos convidados e de toda a equipe dele nesse período. No dia 13 de fevereiro, o Brasil passava de 238 mil mortos por covid-19 e, enquanto isso, Bolsonaro torrava dinheiro público com lazer”, afirma o deputado.

Para que o parlamentar goiano tenha êxito, seu requerimento precisa ser aprovado pela Comissão de Fiscalização e Controle, da qual Elias é membro titular. Se for aprovada, é criada uma obrigatoriedade de auditoria.

“Além de fazer representação ao TCU, decidi tomar essa outra medida porque acredito que a Câmara precisa se manifestar nesse caso. Não é uma questão de oposição ou situação, de qual partido você representa, mas de representar realmente o povo, de executar o papel de fiscalização do Executivo. A Câmara não pode se omitir”, completou Elias.

O deputado teve acesso às contas que, segundo ele, o presidente Bolsonaro gastou em férias quando esteve em São Francisco (SC) e Guarujá (SP), entre os dias 18 de dezembro (2020) a 5 de janeiro (2021). O valor gasto, segundo o deputado, teria sido de R$ 2.452.586,11.

Estas despesas do chefe do Executivo brasileiro foram solicitadas por Elias em 12 de janeiro e só agora o deputado teria recebido os documentos.

O ofício n° 57/2021/SE/GSI/GSI/PR, assinado pelo Ministro Augusto Heleno, do GSI (Gabinete de Segurança Institucional), estima o custo de U$ 185 mil, ou seja, R$ 1.053.889,50 com locomoção terrestre, aquática e aérea do presidente, da família dele, de convidados e da equipe de profissionais que os acompanharam. Já com as passagens aéreas e diárias do GSI o gasto total informado pelo Gabinete foi de R$202.538,21.

O ofício n° 152/2021/SG/PR/SG/PR, da Secretaria Especial de Administração da Secretaria-Geral da Presidência da República, informa que a despesa com cartão corporativo das férias de Bolsonaro foi de R$1.196.158,40. O valor seria destinado ao custeio de hospedagem, alimentação e bebidas, contratação de profissionais ou empresas terceirizadas para prestação de serviço e ainda gastos com entretenimento, como veículos aquáticos e guias turísticos, entre outros. Os serviços foram destinados ao presidente, familiares, convidados e à equipe de profissionais.


Leia mais sobre: / Destaque 2 / Política