20 de maio de 2024
Tendência • atualizado em 26/04/2024 às 09:37

Eficiência Energética irá estimular outros entes a migrarem para o modelo, diz CEO do grupo BC Energia 

Na entrevista, Alessandro explicou na prática os motivos da mudança gerar uma grande economia aos cofres públicos
Em sua análise, o diretor pontua que o movimento de expansão da área pública, buscando energia mais barata e renovável, é inovador. (Foto: Diário de Goiás).
Em sua análise, o diretor pontua que o movimento de expansão da área pública, buscando energia mais barata e renovável, é inovador. (Foto: Diário de Goiás).

Durante lançamento do Programa de Eficiência Energética do Governo de Goiás, Alessandro Cunha, CEO do grupo BC Energia, que irá participar da licitação para o fornecimento de energia limpa para o Estado afirmou que o projeto é exemplo e estimulará outros entes do setor público a mudar o processo de compra de energia para economizar.

Em sua análise, o CEO pontua que o movimento de expansão da área pública, buscando energia mais barata e renovável, é inovador. “Com a abertura promovida pela portaria nº50 de 2022, que a gente chama de Mercado de Varejo no Mercado Livre de Energia Elétrica, mercado que é alvo do estado de Goiás, ele já vai fomentar um crescimento grande”, afirmou.

Segundo o especialista, Goiás hoje tem demanda e capacidade para a implementação de energia limpa. “Nosso Estado é um dos principais em geração de energia a partir de biomassa, a partir da queima do bagaço da cana de açúcar” Então, sim, existe oferta suficiente para atender o consumo com geração do próprio Estado”, afirmou Alessandro que também citou o crescimento de energia solar no estado.

Economia na prática

Na entrevista, Alessandro explicou na prática os motivos da mudança gerar uma grande economia aos cofres públicos. “Hoje a Tarifa de Energia Elétrica tem 3 componentes básicos, ela tem o uso da rede, onde você paga para a distribuidora para usar a rede dela, você tem a energia elétrica propriamente dita e tem os impostos. Quando você vai para o Mercado Livre de Energia Elétrica, o que você faz é comprar a energia mais barata”, iniciou.

Segundo o especialista, hoje a distribuidora local vende energia através de um repasse de um leilão federal. “Então existe um leilão centralizado, onde se compra a energia para todas as distribuidoras do país e a distribuidora repassa essa energia ao consumidor cativo”, explicou. O Consumidor Cativo é aquele que não tem a opção de escolher seu próprio fornecedor de energia e paga uma fatura todo mês à concessionária local.

A diferença ocorre no Mercado Livre de Energia. “Quando eu vou para o Mercado Livre, eu compro a energia de forma direta, então posso escolher de quem comprar, qual tipo de energia comprar e posso negociar prazo e preço com o meu fornecedor, isso que gera economia para o Estado”, explicou Cunha.

Grupo BC Energia 

O grupo BC Energia hoje o um principal comercializador de energia do Estado e um dos principais do país e possui 10 anos de mercado. “Hoje nós temos mais de 4 mil clientes dentro do estado de Goiás, sejam eles de baixa tensão ou de alta tensão, atendidos em geração distribuída, em mercado varejista ou em mercado atacadista de energia elétrica”, afirmou Alessandro.


Leia mais sobre: / / / Cidades / Notícias do Estado

Elysia Cardoso

Jornalista formada pela Uni Araguaia em 2019