27 de junho de 2022
Concursos

Edital de concurso da PM do DF é considerado discriminatório

O edital do concurso da Polícia Militar do Distrito Federal tem causado alvoroço. Segundo informa reportagem do jornal Correio Braziliense, a publicação afirma que pessoas “transtorno de identidade sexual” não podem participar da concorrência. A medida foi encarada como um ato de discriminação.

Leia a matéria.

 

Continua após a publicidade

Edital do concurso da Polícia Militar revela teor discriminatório

 

Reconhecida por valores conservadores, a Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF) lançou neste mês um edital polêmico para o concurso de oficial de saúde. As regras da seleção não permitem, por exemplo, a participação de pessoas com “transtorno de identidade sexual”. A restrição aparece no Anexo 2 do documento que estabelece as doenças que impedem o candidato de concorrer a uma vaga. Publicado em 9 de maio, o texto, segundo a corporação, está amparado na Classificação Internacional de Doenças (CID 10). Mas especialistas ouvidos pelo Correio defendem que a prática é discriminatória.

Continua após a publicidade

A presidente da Comissão Especial de Diversidade Sexual da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Maria Berenice Dias, classifica a restrição da PM como “preconceituosa, homofóbica, perversa e inconstitucional”. Ela explica que o transtorno só é mantido no CID 10 para que o Sistema Único de Saúde (SUS) proporcione gratuitamente o processo de resignação sexual de travestis e transexuais. “Isso já foi amplamente debatido. Se não for pelo SUS, a rede pública não tem como atender essas pessoas, promovendo a adequação de sua identidade. Se não for assim, vão conseguir isso como?”, questionou. (Correio Braziliense)

Leia mais sobre:
Concursos