28 de junho de 2022
Cidades

Dupla suspeita de aplicar golpe usando dados bancários furtados e documentos falsos é presa em Goiânia

Foto: divulgação Polícia Civil
Foto: divulgação Polícia Civil

A Polícia Civil prendeu  nesta quarta-feira (5), duas pessoas  suspeitas de sacar R$ 150 mil em uma agência usando dados bancários furtados, em Goiânia. As investigações foram iniciadas após policiais do Grupo de Investigação de Estelionato e Outras Fraudes (GREF), terem sido informados pela segurança da instituição financeira que o casal estaria fazendo uso de documento supostamente falso e se passando por uma cliente e tentando efetuar o saque.

Continua após a publicidade

Segundo a polícia, eles colocavam um equipamento em cabos de internet dos caixas eletrônicos e conseguiam acessar as contas dos clientes.

De acordo com as investigações, Ricardo Lázaro Cardoso, de 44 anos, e Cristiane Bruno Aredes de Morais, de 43 anos, foram presos em flagrante por furto qualificado e uso e documentos falsos.

O delegado  responsável Cássio Arantes Nascimento disse que  a dupla agia selecionando as “melhores contas”  para realizar os saques.  “A quadrilha foi até uma agência de Minas Gerais, cortou um cabo de internet na área dos caixas, colocou um aparelho conectado ao celular e acessaram os dados de cerca de 300 correntistas. Eles fizeram uma filtragem das melhores contas e começaram a aplicar o golpe”, explicou.

Continua após a publicidade

O delegado acredita que eles já tenham realizado o mesmo golpe outras vezes e que ainda iriam tentar fazer mais saques em Goiânia. “Eles tinham mais cartões com nomes falsos e dados furtados dos clientes. O prejuízo pode chegar a R$ 1 milhão”.

Cristiane, que não tem antecedentes criminais, confessou a participação no golpe em depoimento a polícia. Já Ricardo, que já foi preso anteriormente por estelionato, permaneceu em silêncio.

“Ela disse que estava precisando de dinheiro e entrou em contato com o Ricardo, que forneceu os documentos falsos a ela. Eles vieram até Goiânia e conseguiram sacar R$ 150 mil em uma agência na Avenida T-63. Rapidamente eles já depositaram o dinheiro e várias outras contas de terceiros”, afirma o delegado.

Ao tentar aplicar o golpe no dia seguinte,  em uma agência na Avenida Goiás, o banco chamou a polícia ao desconfiar dos documentos falsos. A polícia explicou que o dinheiro sacado não foi recuperado e que o prejuízo é do banco, e não do correntista que teve os dados obtidos de forma criminosa. A polícia tenta agora identificar os responsáveis por furtar os dados bancários.