28 de junho de 2022
Conclusão de Inquérito

Duas pessoas são indiciadas por morte de idosa no Hugo

Suspeito do crime e vigilante que permitiu a entrada do investigado foram indiciados após conclusão das investigações
Idosa estava internada no Hospital de Urgências de Goiânia. Foto: Divulgação
Idosa estava internada no Hospital de Urgências de Goiânia. Foto: Divulgação

Foram indiciados pela Polícia Civil de Goiás (PC-GO), após conclusão de inquérito, o suspeito pela morte de Neuza Cândida, nas dependências do Hospital de Urgências de Goiânia (Hugo), o suspeito pela manipulação de suas vias aéreas no leito em que se encontrava internada e o vigilante da unidade. O crime ocorreu no último dia 7 de abril.

De acordo com a Delegacia Estadual de Investigação de Homicídios (DIH), foi constatado, através da colheita de diversos elementos de informação, que Ronaldo do Nascimento não conhecia a vítima e não possuía a intenção de matá-la. Entretanto, o investigado assumiu o risco de produzir esse resultado ao manipular a idosa em seu leito, sem autorização, sem conhecimento técnico para tal e em razão do estado de saúde já debilitado da vítima. Por estes motivos, foi indiciado pelo crime de homicídio qualificado, visto se tratar de algo que dificultou, ainda, a defesa da vítima.

A segunda pessoa indiciada foi o vigilante, vinculado a uma empresa que presta serviço de segurança de forma terceirizada ao Hugo. De acordo com as investigações, o profissional teria deixado de observar os protocolos de segurança básicos e autorizado a entrada de Ronaldo do Nascimento em área restrita do hospital. 

Continua após a publicidade

Na conclusão do inquérito, a Polícia Judiciária sugeriu, ainda, ao Poder Judiciário a realização de incidente de insanidade mental no investigado Ronaldo do Nascimento, uma vez que há nos autos indícios de que ele seja portador de alguma doença psiquiátrica, a fim de verificar se ele era, ao tempo do fato, inimputável.