20 de maio de 2024
Arte

Dramaturga mexicana vem a Aparecida de Goiânia ministrar oficina para mulheres

A Escola de Dramaturgas em Goiás é a primeira do Brasil e suas aulas tiveram início em março e seguem até julho
Fernanda Del Monte Martínez vem ao Brasil especialmente para projeto. (Foto: divulgação)
Fernanda Del Monte Martínez vem ao Brasil especialmente para projeto. (Foto: divulgação)

O Ponto de Cultura Coletivo Justina, de Aparecida de Goiânia, receberá a dramaturga mexicana Fernanda Del Monte Martínez de 16 a 19 de abril. Ela vem ao Brasil especialmente para o projeto da Escola Latino-americana de Dramaturgias Emergentes, que tem como principal objetivo impulsionar a escrita de mulheres para a cena. O módulo pelo qual a convidada internacional ficou responsável foi o de “Dramaturgias Próprias: Corpos e Personagens Femininas em Cena”. 

O projeto da Escola Latino-americana de Dramaturgias Emergentes realizado em Goiás conta com recursos da Lei Paulo Gustavo do Governo Federal, operacionalizado pelo Governo de Goiás, por meio da Secretaria de Estado da Cultura, através do edital nº15/2023 – Ações Formativas Em Goiás.

Com início em março e fim das aulas em julho, ao todo estão sendo ofertados cinco módulos mediados por dramaturgas brasileiras e de mais três países latino-americanos. Ao final da formação, um livro com dramaturgias inéditas será publicado como resultado das atividades de formação da Escola.

A dramaturga e atriz Takaiúna é quem coordena esse projeto. Segundo a artista, Goiás entra para a história do teatro brasileiro como sendo o território onde é criada a primeira escola de dramaturgas. “A escola é voltada para o processo de formação de mulheres, artistas da cena, que desejam contar suas próprias histórias”, comenta a idealizadora da Escola 

Escritora, diretora teatral, dramaturga multidisciplinar e investigadora da cena, com mais de vinte anos de experiência, Fernanda é Mestre em Dramaturgia pela Universidad Nacional de las Artes – UNA (Argentina) e Doutora em Teoria Crítica (17, Instituto de Estudios Críticos). 

Seus textos mais representativos são Palabras Escurridas (Prêmio Internacional de Teatro Latino-Americano, Universidade de York, Canadá), Territórios Textuais no chamado teatro pós-dramático (Prêmio Internacional para Ensaio Teatral), Reflexões dela (Textos de la Capilla, WWPi Chile, 2018), meus humores (Editorial 17,) www.mishumores.com; Um corpo devastado é, (Textos da Capela 2023).

Atualmente é Coordenadora de Arte, Performatividade e Tecnologia do 17, Instituto de Estudos Críticos. Co-Dirige a Licenciatura de Cinema e TV do CENTRO. É professora de narrativas transmídia e dramaturgia na Licenciatura em Computação Criativa. Dramaturga e escritora multidisciplinar. 

A artista dirigiu e escreveu mais de quinze obras, desde 2006, levadas para telas de cinema, peças digitais, livros, peças de radioteatro, performances, ensaios, artigos acadêmicos e obras teatrais, no Canadá, Espanha, Chile, Colômbia, Argentina, Japão e México

Recebeu apoio da Fonca, do Conselho de Artes e Letras de Québec e do Iberescena. Em 2018, sua obra Reflexos dela foi apresentada na 11ª Conferência Internacional Mundial de Mulheres Dramaturgas, em Santiago, Chile.


Leia mais sobre: Variedades

Carlos Nathan Sampaio

Jornalista formado pela Universidade Federal e Mato Grosso (UFMT) em 2013, especialista Estratégias de Mídias Digitais pelo Instituto de Pós-Graduação e Graduação de Goiânia - IPOG, pós-graduado em Comunicação Empresarial pelo Senac e especialista em SEO.