21 de julho de 2024
Terceira-via • atualizado em 23/05/2022 às 15:34

Dória retira pré-candidatura à presidência da República

Sem consenso dentro do PSDB, o agora ex-presidenciável desistiu da pré-candidatura mesmo após vencer as prévias tucanas
O ex-governador de São Paulo desistiu da sua pré-candidatura três dias após ter uma agenda com o ex-governador Marconi Perillo (Foto: Reprodução Redes Sociais)
O ex-governador de São Paulo desistiu da sua pré-candidatura três dias após ter uma agenda com o ex-governador Marconi Perillo (Foto: Reprodução Redes Sociais)

O ex-governador de São Paulo João Dória (PSDB) anunciou nesta segunda-feira (23) que não vai mais concorrer à presidência da República. A decisão do tucano foi tomada após “não haver consenso pelo seu nome” mesmo Dória sair vitorioso nas prévias tucanas, vencida ainda em 2021. Na ocasião o tucano enfrentou o ex-governador do Rio Grande do Sul Eduardo Leite (PSDB) e o ex-prefeito de Manaus Arthur Virgílio (PSDB).  

Retirada da pré-candidatura aconteceu três dias após a vinda de Dória à Goiás, quando o ex-governador Marconi Perillo (PSDB) promoveu o último evento público de pré-candidatura do ex-governador de São Paulo como pré-candidato. Marconi, inclusive, demonstrou apoio a Dória.  

O pronunciamento da sua desistência durou aproximadamente 14 minutos, quando o tucano citou políticos antigos do PSDB paulista, como Franco Montoro, o ex-prefeito de São Paulo Bruno Covas e o atual governador de São Paulo, Rodrigo Garcia e até mesmo um poema da goiana Cora Coralina.  

Dória também lembrou de suas gestões na Prefeitura e no Governo e também sua atuação na Agência de Turismo de São Paulo. Segundo ele, o legado das suas gestões foi forte e que culminou na sua vitória em três prévias dentro do partido, para a prefeitura de São Paulo, quando concorreu em 2016, para o governo de São Paulo, em 2018, e para a presidência da República, que foi vencida em 2021, mas não culminou na sua candidatura. O político não empolgava nas pesquisas eleitorais e sequer ultrapassou 5% de intenções de voto.  

Apesar da desistência, Dória afirmou que o Brasil precisa de uma terceira-via para enfrentar o presidente Jair Bolsonaro (PL) e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e, segundo o tucano, não havia consenso pelo seu nome dentro do PSDB.   

“Entendo que não sou o candidato do PSDB, e sou um homem que respeita o consenso, mesmo que ele seja contrário à minha posição. Por isso me retiro da disputa com o dever cumprido com o sentimento de gratidão e em favor dos paulistanos, dos paulistas e dos brasileiros. Deixo, confiante na força do povo”, discursou Dória.  

O legado do peessedebista foi, segundo ele, a produção de mais de 140 doses da vacinação contra a Covid-19 e a geração de empregos na cidade de São Paulo. “Salvamos vidas e salvamos a economia com mais de 1/3 dos empregos gerados em todo o Brasil e vencemos com a ciência”, lembra Dória.

Veja também:

Saiba onde realizar exames gratuitos para identificação da Covid-19, nesta semana, em Goiânia

Dinheiro público banca centenas de caminhões de lixo com preços inflados


Leia mais sobre: Brasil / Política