26 de maio de 2024
Acontecimento inédito

Dois presos fogem de penitenciária federal de segurança máxima; primeira fuga do tipo no país

A fuga aconteceu na Penitenciária Federal de Mossoró (RN), uma das cinco penitenciárias federais de segurança máxima do país, e foi comunicada nesta quarta (14)
Penitenciária de Mossoró. Foto: SNPP/Gov
Penitenciária de Mossoró. Foto: SNPP/Gov

O Sistema Penitenciário Federal confirmou, nesta quarta-feira (14), a fuga de dois presos da Penitenciária Federal de Mossoró (RN), uma das cinco penitenciárias federais de segurança máxima do país. Esta é a primeira ocorrência do tipo no Brasil.

O Ministério da Justiça e Segurança Pública já acionou a Polícia Federal (PF) e solicitou o apoio das secretarias da Segurança Pública e da Defesa Social e de Administração Penitenciária do Rio Grande do Norte para localizar os fugitivos. A Segurança Pública da Paraíba e do Ceará também foram acionadas para reforçar a segurança na divisa dos estados. Os presos foragidos foram identificados como Rogério da Silva Mendonça e Deibson Cabral Nascimento.

De acordo com a CNN Brasil, os fugitivos são ligados ao Comando Vermelho, a maior facção do Rio de Janeiro. Há cerca de três semanas, a Polícia Federal realizou transferências de chefes de facções entre os presídios de segurança máxima, entre eles, Fernandinho Beira-Mar, que foi transferido do presídio de Campo Grande (MS) para Mossoró (RN).

O novo secretário da Secretaria Nacional de Políticas Penais (Senappen) do Ministério da Justiça e Segurança Pública, André Garcia, nomeado na semana passada, já foi para Mossoró com outros integrantes da pasta para acompanhar de perto a apuração dos fatos e investigar o paradeiro dos fugitivos. De acordo com o Ministério da Justiça, todas as providências necessárias para recapturar os foragidos e esclarecer as circunstâncias da fuga já estão sendo adotadas.

Com informações da Agência Brasil  


Leia mais sobre: / / / Brasil

Luana Cardoso

Luana

Estagiária de Jornalismo do convênio entre a UFG e o Diário de Goiás.