25 de maio de 2024
BALANÇO

Diretor da Polícia Penal de Goiás diz que presídios não são mais quartéis de comando do crime

Fala do diretor da Polícia Penal Josimar Pires aconteceu durante o discurso na apresentação dos indicadores criminais de 2023
Lideranças das organizações criminosas foram isoladas em presídios de segurança máxima. (Foto: reprodução)
Lideranças das organizações criminosas foram isoladas em presídios de segurança máxima. (Foto: reprodução)

O diretor da Polícia Penal de Goiás, Josimar Pires Nicolau do Nascimento, afirmou que os presídios goianos não são mais quartéis de comando do crime. A fala aconteceu durante o discurso do diretor na apresentação dos indicadores criminais de 2023, nesta quarta-feira (10).

Segundo Josimar, Goiás tem controle total das unidades prisionais. “[Tem um controle] de mais de 21 mil apenados no Estado de Goiás, pessoas que estão custodiadas sobre a responsabilidade do Estado e que as organizações criminosas não dominam mais e controlam essas unidades emitindo ordens para cometimento de crimes fora dos presídios ali de dentro desses estabelecimentos penais”, explicou.

O trabalho desempenhado, de acordo com o diretor da Polícia Penal, é “de muita organização, reestruturação, inteligência, de controle e de monitoramento das organizações”. Ele explica que as lideranças das organizações criminosas foram isoladas em presídios de segurança máxima nos últimos anos. “Então, deste modo, nós tivemos o controle destes líderes dessas organizações, fazendo com que a criminalidade no estado, atrelada à integração com as outras forças, tivesse esses resultados que foram apresentados”, afirmou.

Apreensão de armas

De acordo com Josimar, a apreensão de armas foi reduzida a zero, fazendo ainda um comparativo com 2019. “Nós tivemos, em 2019, apreensão de mais de 30 armas de fogo e mais de 5 mil munições. Nos últimos dois anos, nenhuma arma de fogo foi apreendida”, diz.

O diretor da Polícia Penal explica que a apreensão zero de armas significa controle, estrutura e o crime organizado sendo desmantelado.  

Indicadores criminais de 2023

Os indicadores criminais divulgados têm o Observatório de Segurança Pública do Estado de Goiás como fonte, sendo provenientes do Sistema Registro de Atendimento Integrado (RAI) utilizado pelas Forças de Segurança, conforme o andamento das investigações. Para a apresentação desta quarta-feira, o Plano Nacional de Segurança Pública que prioriza a atenção aos Crimes Violentos foi considerado.

Em relação aos Crimes Violentos Letais Intencionais, foi registrado em Goiás a redução de 12,1% de Homicídios Dolosos. Em 2022, foram registrados 1.185 e em 2023, 1.042. No caso de homicídio tentado, diminuiu 12%, sendo 1.829 em 2022 e 1.696 em 2023. O número de estupro também reduziu 7,3%.

Crimes de latrocínio, roubo seguido de morte, sofreu redução de 57,6%, sendo que em 2022 foram registrados 33 casos e, em 2023, foram 14. Além disso, no ano passado, 93 municípios não registraram homicídios consumados.


Leia mais sobre: / / / / / / Cidades

Maria Paula

Jornalista formada pela PUC-GO em 2022 e MBA em Marketing pela USP.