27 de maio de 2022
Cidades • atualizado em 12/02/2020 às 23:44

VÍDEO: Obra do BRT Norte-Sul terá R$340 milhões do Governo Federal e Prefeitura de Goiânia

Foi realizada nesta quinta-feira (19) solenidade para ordem de serviço para implementação do Bus Rapid Transport (BRT) Norte-Sul, no Paço Municipal, localizado na Avenida Cerrado, no setor Park Lozandes, em Goiânia. O evento contou com a presença do prefeito da capital, Paulo Garcia (PT), do governador de Goiás, Marconi Perillo (PSDB) e da presidente da República, Dilma Rousseff (PT).

O Diário de Goiás transmitiu o evento ao vivo

Continua após a publicidade

 {youtube}Lqyztm1vrAo{/youtube}

O ministro das Cidades, Gilberto Kassab, o prefeito de Aparecida de Goiânia, Maguito Vilela (PMDB), o prefeito de Anápolis, João Gomes, além de várias outras autoridades também participaram do evento.

Na ocasião, Marconi Perillo e Paulo Garcia agradeceram às parcerias do governo federal tanto com o Estado quanto com a Prefeitura de Goiânia. Dilma também anunciou mais investimentos em Goiás voltados para o Pronatec, o Programa Mais Médicos e o Minha Casa, Minha Vida.

Continua após a publicidade

A homologação da licitação do projeto do Bus Rapid Transit foi realizada no início deste ano. De acordo com a Prefeitura de Goiânia, o valor da licitação vencedora, considerada abaixo do esperado, é de R$ 243 milhões. As empresas vencedoras e responsáveis pela obra são Isolux Brasil, EPC e WVG.

As obras do BRT Norte Sul serão iniciadas em até 30 dias. Duas frentes de trabalho serão montadas. Uma na região noroeste de Goiânia e outra na divisa com Aparecida. Autoridades presentes na solenidade de lançamento, entre elas, a presidente da República, Dilma Rousseff (PT) ressaltaram a importância da obra.

O BRT atenderá, de forma direta, 148 bairros da capital e também de Aparecida de Goiânia. O corredor exclusivo para ônibus terá 21,8 quilômetros de extensão e permitirá a ligação direta entre o terminal do Cruzeiro em Aparecida e o do Recanto do Bosque, na região noroeste da capital. A expectativa é cerca de 120 mil usuários por dia sejam beneficiados.

“Sintonizadas com cidades do mundo inteiro, que hoje investem no que há de mais moderno no conceito de Mobilidade urbana Sustentável, Goiânia dá um salto ao priorizar o transporte coletivo de qualidade para a população”, destaca o prefeito de Goiânia, Paulo Garcia.

O sistema prevê a implantação de faixas exclusivas para o transporte coletivo e a substituição da frota atual por veículos de maior capacidade, ou seja, a colocação na linha de ônibus articulados, semelhante aos do Eixo Anhanguera.

Um dos principais objetivos é de criar eixos de transportes integrados à rede existente.

Ao longo do corredor estão previstos seis terminais de integração. Três deles a serem construídos (Correios, Rodoviária e Perimetral), dois reconstruídos (Isidória e Recanto do Bosque), um adaptado (Cruzeiro), além de 40 estações de embarque e desembarque.

“As cidades do Brasil tem se preparado para atender qualificadamente a sua população. Goiânia cresceu e há alguns desafios similares das grandes metrópoles. Esse BRT é uma honra pra mim lançar a ordem de serviço. Ele mudará a articulação do transporte aqui na cidade, por isso é importante vir aqui e mostrar que em parceria, nós iremos fazer do BRT um dos principais eixos para a cidade”, afirma a presidente Dilma.

 A obra está orçada em R$ 340 milhões.  R$ 210 milhões são oriundos do PAC Mobilidade. A expectativa é que em até 20 meses seja concluída

Desapropriações

De acordo com o coordenador do BRT Norte Sul, Ubirajara Abud, serão necessárias aproximadamente 65 desapropriações ao longo da extensão do corredor.

“Não são muitas, aproximadamente 65 desapropriações. Felizmente são poucos locais em qu vão haver desapropriações. Elas estão mais ou menos concentradas na duplicação da avenida Rio Verde, perto da área dos Correios e no Recanto do Bosque,  e em alguns locais onde serão construídas as estações de embarque”, afirma.

Leia mais sobre:
Cidades