29 de maio de 2024
Consequências

DGAP afasta policial penal que agrediu advogado

De acordo com o órgão, um procedimento de sindicância foi instaurado para apuração da denúncia de agressão física e ameaça
O policial penal deu coronhadas na cabeça e na nuca do advogado. Foto: Reprodução/ Instagram
O policial penal deu coronhadas na cabeça e na nuca do advogado. Foto: Reprodução/ Instagram

A Diretoria-Geral de Administração Penitenciária anunciou afastamento do policial penal que agrediu o advogado criminalista, Gabriel Castro, na Casa de Prisão Provisória (CPP) de Aparecida de Goiânia, na última quarta-feira (24). Conforme o órgão, foi instaurado ainda um procedimento de sindicância para apuração da denúncia de agressão e ameaça.

De acordo com a Corregedoria Setorial da DGAP, o servidor foi afastado administrativamente das funções por 60 dias. Em nota, a corregedoria comunicou ainda que “não compactua com condutas de seus servidores que, eventualmente, possam ir contra a honra, moral ou integridade física de qualquer cidadão”.

Segundo relatos do advogado, o policial penal teria lhe dado coronhadas na cabeça e na nuca, algemado e ameaçado durante procedimento de revista. Antes da agressão os dois haviam iniciado uma discussão leve, que resultou nas lesões corporais.

O advogado criminalista registrou boletim de ocorrência e passou por exame de corpo de delito no Instituto Médico Legal (IML). Após constatação dos fatos, a Ordem dos Advogados do Brasil – Seção Goiás (OAB-GO) se manifestou a favor de Gabriel Castro e requereu afastamento imediato do policial penal para procedimento investigatório.


Leia mais sobre: / / / / Cidades

Luana Cardoso

Luana

Estagiária de Jornalismo do convênio entre a UFG e o Diário de Goiás.