14 de junho de 2024
Política

DEU NO O HOJE: ZE GOMES ASSUME SANEAGO NA PRÓXIMA SEMANA

Depois de muita especulação sobre a possibilidade de posse ou não do ex-prefeito de Itumbiara, Jose Gomes da Rocha (PP), assumir o comando da SANEAGO, material do Jornal o Hoje confirma posse do novo presidente da SANEAGO para a próxima quarta-feira.

Após ser anunciada a indicação de Jose Gomes, a repercussão nas redes sociais foi grande fazendo o questionamento sobre a questão de Zé Gomes ser ” ficha suja”, e por isso estar impedido de assumir cargo público. Foi noticiado que ele teria recorrido da decisão que o tornou “ficha suja” e por isso poderia assumir a SANEAGO.

O Ministério Público Federal enviou recomendação ao governo do estado informando que Jose Gomes não poderia assumir o cargo público.

 

Zé Gomes toma posse sem fazer solenidade

LOREN MILHOMEM
Em 28/03/2013, 02:06

Com festividade de posse marcada para a quarta-feira da próxima semana, o ex-prefeito de Itumbiara, José Gomes da Rocha (PP), disse ontem que desistiu da cerimônia de posse na presidência da Saneago, por considerar desnecessária qualquer “festividade”. Ele afirmou que já foi empossado informalmente, apenas não recorreu à solenidade formal. Na tarde de ontem, Zé Gomes foi recebido pelo governador Marconi Perillo (PSDB) no Palácio das Esmeraldas. Ele negou que tenham tratado sobre ameaça do Ministério Público Federal (MPF) de pedir anulação de sua posse e disse que Marconi fez recomendações ao seu trabalho à frente da estatal.

“Quero entrar mostrando serviço, então, decidi comemorar minha posse com a inauguração de alguma obra e esquecer essa história de fazer solenidade na próxima semana”, disse, horas depois de ter se encontrado com o governador. Questionado se havia recebido orientação de Marconi pela não realização da cerimônia de posse, disse que a decisão partiu dele mesmo. “Já fui empossado tantas vezes em todos os cargos que ocupei na minha vida, que não vejo necessidade. Quando inaugurar uma obra, aí sim vou me considerar empossado”, declarou. Zé Gomes disse que começou a trabalhar ainda na terça-feira e que vai continuar trabalhando durante o feriado. “Gosto muito de trabalhar, estou doido para mostrar serviço”, afirmou.

Indagado se o governador fez alguma consideração a respeito da manifestação do MPF, disse que não tocaram no assunto “nem por cima”. Ele reafirmou que não teme nenhuma ação do MPF. “Em 36 anos de vida pública, nunca respondi a nenhum processo de enriquecimento ilícito e dolo. Nada prejudica o homem que trabalha”, declarou. Zé Gomes disse que o governador recomendou a ele dedicação total à Saneago e busca por recursos, além de priorizar a universalização da água em Goiânia e Aparecida de Goiânia. “Vou a Brasília atrás de recursos. O governador me recomendou também atenção a Aparecida, manter firme as parcerias com o prefeito Maguito Vilela. Ele me cobrou também melhorar o sistema de água de Campos Belos, fazer uma adutora no Rio Mosquito”, listou.

Procurador
O coordenador do Núcleo de Combate à Corrupção do Ministério Público Federal em Goiás (MPF-GO), procurador Hélio Telho, disse ontem que aguarda resposta do governador sobre a recomendação expedida pelo MPF, que pede imediata suspensão da posse de Zé Gomes. Marconi tem até terça-feira para responder ao MPF. “Assim que tivermos a resposta vamos analisar se tomaremos providências judiciais”, explicou.

José Gomes foi condenado por improbidade administrativa por ter usado verbas de gabinete da Câmara dos Deputados, em 1998, quando era deputado federal, para pagar salários de jogadores do Itumbiara. Ele recorreu das condenações ao Supremo Tribunal Federal (STF), mas segundo Hélio Télio, foi condenado por dois colegiados e é ficha-suja. Um dos questionamentos do procurador é justamente descobrir se, para assumir o cargo, o Conselho da Sanego exigiu dele certidões negativas, a exemplo dos demais servidores do Estado, conforme determina decreto do governador.

Governo cria conselho para acompanhar obras

O governo encaminhou projeto à Assembleia Legislativa que cria Conselho Gestor de Obras e Projetos Prioritários e de Investimentos Públicos. O projeto foi protocolado ontem com o nº 2013001006. O objetivo, segundo justificativa do Poder Executivo, é dotar a administração estadual de um instrumento que favoreça o aceleramento do ritmo de obras e projetos considerados prioritários para o Estado. “De forma segura – acrescenta Marconi Perillo – e buscando a centralização de responsabilidades.”

Se aprovado, o Conselho será gerido pela Controladoria-Geral do Estado. Na matéria, há também pedido de autorização também para discriminar obras e projetos considerados emergenciais, bem como o oferecimento da estrutura técnico-operacional necessária à execução das medidas preconizadas.

( Com informações Jornal o HOJE)


Leia mais sobre: Política