19 de maio de 2022
Política

Deu no JB: Lavanderia de Cachoeira pagou mansão de Perillo e deu verba para Nercessian

Como era previsto, depois da eleição volta o assunto da CPI do Cachoeira para a mídia nacional. Agora, o Jornal do Brasil informa, com novas informações, que o dinheiro de uma suposta “lavanderia” de Carlos Cachoeira teria pago a aquisição da casa do governador de Goiás, Marconi Perillo (PSDB).

A notícia no Jornal do Brasil deu o seguinte enfoque:

Continua após a publicidade

“Uma nova “lavanderia” do dinheiro sujo do esquema montado pelo contraventor Carlinhos Cachoeira em conjunto com a Delta Construções veio à tona com a análise das quebras de sigilo feitas pela CPMI que investiga as práticas criminosas desvendadas pelas operações “Vegas” e “Monte Carlo”, da Polícia Federal, a CPMI do Carlinhos Cachoeira.

Através da empresa de fachada Adécio & Rafael Construção e Terraplanagem o senador Randolfe Rodrigues (PSOL-AP) descobriu pagamentos para o deputado federal Stepan Nercessian (PPS-RJ), para o prefeito de Palmas, Raul Filho, para o ex-presidente do Clube de Diretores dos Lojistas de Goiânia, Jacinto Lúcio Borges, e até a confirmação da compra, pelo contraventor Cachoeira, da mansão do governador Marconi Perillo, de Goiás.

Nova “lavanderia” do esquema montado por Cachoeira com a Delta Construções veio à tona

Continua após a publicidade

Nas análises dos documentos gerados pelas novas quebras de sigilo, porém, surgiu esta empresa fantasma que, entre 2010 a fevereiro passado, recebeu R$ 37 milhões da Delta Construtoras, sem que prestasse qualquer serviço à mesma. “É a principal peça de engrenagem da lavagem de dinheiro do esquema” concluiu o senador Randolfe.

Até então se apontava a empresa fantasma Alberto & Pantoja Construções e Transportes como o principal instrumento de lavagem do dinheiro sujo do esquema criminoso. Afinal, em pouco mais de dois anos, ela recebeu R$ 31 milhões da Delta e repassou esta verba a terceiros.

Os novos documentos mostraram que a Adécio & Rafael recebeu mais verba ainda. Fora R$ 37 milhões entre os anos de 2010 e fevereiro de 2012, tudo repassado pela Delta Construções, apesar de não constar nenhum serviço prestado à mesma.

O “dono” da empresa, no entendimento do senador, “não é um simples laranja como se pensava, mas um agente entrosado no esquema. Foram identificados 227 saques com cheque em seu nome (Adécio Conceição), os quais totalizam a vultosa soma de R$ 14.998.974,59. É uma relação de muita confiança semelhante ao contador Geovani”.

Geovani Pereira da Silva, de 45 anos, segundo a denúncia do Ministério Público Federal, recebeu dinheiro arrecadado do jogo ilegal e fez pagamentos da organização. Por ele passaram bilhões de reais.

Os novos dados, a serem levados à CPMI que recomeça seus trabalhos nesta terça-feira (09/10), sem dúvida complicarão a vida de muitos, entre os quais Nercessian e Perillo. No caso de Nercessian, foram descobertos dois depósitos: um de R$18 mil e outro de R$ 15 mil, ambos em 2011”.

E, mais.

“Perillo alega que vendeu a casa para Walter Paulo Santiago. Este teria feito o pagamento com cheques da empresa Excitante Indústria e Comércio de Confecções Ltda. que totalizaram o R$ 1,4 milhão acertado. Ocorre que, como demonstrada pela quebra de sigilo, os pagamentos saíram da conta da empresa Excitante após a Adécio & Rangel transferir para a mesma os valores que recebera da Delta Construções.

Assim, segundo Randolfe, no dia 1 de março de 2011 houve uma transferência de R$ 250 mil da Adécio & Rangel para a Excitante, no dia 2 foram transferidos mais R$ 250 mil e outra parcela idêntica em 31 de março.  Nas mesmas datas foram emitidos os cheques que pagaram a mansão vendida por Perillo.

Leia mais sobre:
Política