25 de junho de 2024
Política

Deu no Comunique-se: Leandro Fortes rebate críticas e chama radialista de “criminoso”

O site www.comunique-se.com.br publicou a polêmica sobre a reportagem que a Carta Capital apelidou como “Central de Grampos” instalada em Goiás. O site é especializado em jornalismo.

Entre as matérias publicadas desde a última sexta-feira, o Comunique-se mostra que o jornalista da Carta Capital, Leandro Fortes, rebates críticas recebidas.

LEIA A REPORTAGEM:

“Autor da reportagem sobre suposto esquema de espionagem organizado pelo governo de Goiás, que rendeu capa da edição desta semana da Carta Capital, o jornalista Leandro Fortes entrou em contato com o Comunique-se e rebateu as críticas feitas por Luiz Gama, radialista citado na matéria da revista como contratante do cracker conhecido como Mr. Magoo.

Radialista e apresentador de programa esportivo da Fonte TV, Gama não conversou com a reportagem da Carta Capital, mas usou a conta que mantém no Twitter para criticar o trabalho do impresso dirigido por Mino Carta. No microblog, usou termos como “otários” para se referir aos funcionários da revista e afirmou que a matéria assinada por Fortes não passava de “fantasia”.   

Fortes, ao procurar o Comunique-se, afirma que estranhou o fato de o portal “ter dado espaço para um criminoso pego com a boca na botija”, quem, segundo o repórter da Carta Capital, tem o “insulto e a agressão” como únicas soluções. O jornalista reforça que as mensagens trocadas por Gama, Eni Aquino (mulher do radialista) e Mr. Magoo estão registradas no Google e no MSN.

Confira a íntegra do posicionamento de Leandro Fortes enviado à redação:
Jornalista é autor da reportagem de capa da edição desta semana da revista Carta Capital (Imagem: Arquivo Pessoal – Leandro Fortes)Luiz Gama está em desespero e, dada a condição em que se encontra, tem como única solução partir para o insulto e a agressão. Ele não é jornalista, mas apresentador limítrofe de um programa esportivo de quinta categoria da Fonte TV, aliás, local utilizado para fazer pagamentos do esquema clandestino de grampos, segundo o próprio.
 
Sabe, portanto, que a chance dele um dia fazer parte de uma redação como a da CartaCapital é zero. Admirou-me, somente, o fato de o Comunique-se ter dado espaço para um criminoso pego com a boca na botija dar vazão à sua baixeza.
 
Gama, assim como a falsa claque montada por ele nas redes sociais, apegou-se a uma nota do Ministério Público Federal de Goiás equivocada, que nega haver investigação contra Marconi Perillo. A matéria não diz que há investigação, mas que ela será iniciada a partir do envio das mensagens para a PGR, em Brasília, por causa do foro privilegiado de Perillo. A matéria é indutora dessa investigação e fornece todo o material necessário para que ela seja levada a cabo.
 
A troca de mensagens entre Luiz Gama, a mulher dele, Eni Aquino, e o hacker “Mr. Magoo” está registrada no Google e no MSN. São 450 mensagens diretas de Twitter, além de e-mail da Fonte TV. Nelas, ele revela uma rede criminosa de grampos telefônicos, invasão de perfis e hackeamento de redes sociais. Quem nos chama de “otários” é um esperto araponga que grampeava sem saber que estava grampeado.


Leia mais sobre: Política

Altair Tavares

Editor e administrador do Diário de Goiás. Repórter e comentarista de política e vários outros assuntos. Pós-graduado em Administração Estratégica de Marketing e em Cinema. Professor da área de comunicação. Para contato: [email protected] .