15 de junho de 2024
Política

Deu na Folha: irmão de Perillo orientou Cachoeira, diz PF

A Folha de São Paulo publica, na edição de hoje, informações sobre o relacionamento entre Antônio Perillo e o grupo de Carlinhos Cachoeira.O irmão do governador, que não tem cargo no Estado de Goiás, reuniu-se com Cláudio Abreu, da Delta, com o dono da Construtora Rio Tocantins, Rossine Aires, e Wladimir Garcez, assessor de Cachoeira.

As conversas foram captadas pela escuta da Polícia Federal poucos dias antes da prisão de Carlinhos Cachoeira. Pela reportagem da Folha, a proximidade do irmão do governador Marconi Perillo, com o grupo Cachoeira era bem próxima.

A Folha de São Paulo, no site da empresa, informou assim:

“Conversas gravadas pela Polícia Federal indicam que o irmão do governador de Goiás, Marconi Perillo (PSDB), orientou o grupo do empresário Carlinhos Cachoeira sobre a forma pela qual eles deveriam participar de uma licitação do Estado, orçada em cerca de R$ 21 milhões.

Obtidos pela Folha, os áudios mostram que, na antevéspera da Operação Monte Carlo, que prendeu Cachoeira, Antonio Perillo, que não ocupa nenhum cargo no governo do irmão, orienta um assessor direto do empresário a participar de um lote específico de uma licitação da Agetop (Agência de Transportes e Obras Públicas).

O presidente da Agetop, Jayme Rincón, é um dos principais auxiliares do governador e também atua como seu porta-voz informal.

Em 23 de fevereiro, segundo os áudios, Toninho Perillo, como é conhecido, se reuniu com o ex-diretor da Delta Cláudio Abreu, com o sócio de Cachoeira e dono da Construtora Rio Tocantins, Rossine Aires, e com Wladimir Garcez, assessor de Cachoeira.

Toninho chegou a perguntar a Garcez se Cachoeira também estaria na reunião.

Em 27 de fevereiro, Toninho liga para Garcez e pede que diga a Rossine para “continuar” na disputa para o “lote 29”: “Eu conversei aquele negócio do Rossine lá. (…) Fala para ele ficar tranquilo, que nós saímos do lote 29”.

Não fica claro a quem Toninho se referia ao usar os termos “lá” e “nós”.

Quatro dias depois, em 2 de março, a Construtora Rio Tocantins apresentou proposta em licitação da Agetop para a manutenção de rodovias em todo o Estado. A proposta era voltada para um único lote dentre os 34 em disputa: o lote 29.

Em 16 de abril, quando as relações de Cachoeira com Rossine já eram de conhecimento público, a Rio Tocantins acabou desclassificada”

Jayme Rincón, em nota, afirmou que “não existe nenhum indício de direcionamento ou de benefício a quem quer que seja”. O governador informou que o teor dos áudios deve ser comentado pelos “próprios autores do diálogo”. Toninho Perillo, Rossine Aires e Wladimir Garcez não foram localizados ontem.


Leia mais sobre: Política

Altair Tavares

Editor e administrador do Diário de Goiás. Repórter e comentarista de política e vários outros assuntos. Pós-graduado em Administração Estratégica de Marketing e em Cinema. Professor da área de comunicação. Para contato: [email protected] .