25 de junho de 2024
Cidades

Deu em O Popular: Governo gasta mais com aluguel de imóveis

Só até o mês de abril desse ano, o governo de Marconi Perillo pagou R$ 4,64 milhões em aluguel de imóveis para abrigar setores da administração estadual, segundo mostra reportagem do Jornal O Popular desta segunda-feira (27). Os dados são da Controladoria Geral do Estado (CGE).

 

Em 2012, foram empenhados R$ 12,5 milhões para locação, de acordo com a reportagem, assinada por Fabiana Pulcineli, sendo que, pelo menos R$ 10 milhões já foram pagos. Em contrapartida aos gastos com locação, a administração lançou, em maio, edital para venda de áreas públicas, com o objetivo de arrecadar R$ 25 milhões.

Veja o texto na íntegra, disponível no site do Jornal:

Governo gasta mais com aluguel

Administração já gastou mais de R$ 4 milhões com locação de imóveis esse ano. Em 2012, total pago ultrapassou os R$ 10 milhões
Fabiana Pulcineli
27 de maio de 2013 (segunda-feira)

O secretário estadual de Gestão e Planejamento, Giuseppe Vecci, diz que o Estado estuda a possibilidade de criar um fundo imobiliário e reduzir gastos com aluguel com a construção de um novo centro administrativo, no Setor Vila Nova, em Goiânia.

Ele afirma que nenhuma das áreas prestes a serem vendidas no Estado teria capacidade para abrigar estruturas do governo que necessitam alugar imóveis. “Nós gastamos muito mesmo (com aluguel). Não tem jeito. A solução é construir um novo prédio para órgãos do Estado”, diz.

Ao comentar o contrato no valor de R$ 4,6 milhões da Secretaria da Saúde, Vecci afirma que a pasta, assim como outros órgãos do Estado, estão em locais “velhos, apertados e sem instalações adequadas”.

A intenção do governo é utilizar a área do Instituto de Educação, que tem 50 mil metros quadrados, para construir o novo centro administrativo. O governador Marconi Perillo (PSDB) inclusive citou o prédio como uma das obras prioritárias para o governo até o próximo ano.

“Só não estamos falando muito a respeito porque depois reclamam que se promete e depois não se faz. Mas estamos avançando no projeto”, disse Vecci.

Segundo ele, o amplo estudo feito pela Segplan sobre os imóveis do Estado selecionou aqueles que podem ser aproveitados de alguma forma pelo governo e que a lista para alienação não inclui nenhum que poderia ser utilizado pela gestão.

Segplan tem autorização para vender 41 áreas

O governo estadual já lançou edital de cinco áreas públicas, mas tem autorização da Assembleia Legislativa para vender um total de 41. A intenção é arrecadar, até 2014, R$ 720 milhões, segundo informações repassadas em dezembro do ano passado, quando o projeto de lei foi enviado ao Legislativo.

O secretário de Gestão e Planejamento, Giuseppe Vecci, ressalta que há destinação específica para todos os recursos obtidos com venda das áreas, para projetos e obras previstos no Plano de Ação Integrada de Desenvolvimento (PAI), elaborado pela Segplan em agosto de 2012.

A primeira concorrência, do tipo maior lance, terá envelopes abertos em 17 de junho.

A principal polêmica é sobre a intenção de venda da área do Batalhão Anhanguera, no Setor Marista, em Goiânia. Ainda não há previsão de quando serão lançados os editais para alienação das demais áreas.


Leia mais sobre: / / Cidades