16 de abril de 2024
Venda suspensa • atualizado em 05/01/2024 às 16:19

Determinação da Anvisa proíbe venda de coletor menstrual da Fleurity

A agência proibiu a fabricação, a distribuição, comercialização e a propaganda do coletor da linha POP, devido a ausência de regulação do produto junto ao órgão
O coletor menstrual é utilizado para armazenar o sangue menstrual, sendo uma alternativa sustentável para substituir os absorventes descartáveis. Foto: Reprodução/Fleurity
O coletor menstrual é utilizado para armazenar o sangue menstrual, sendo uma alternativa sustentável para substituir os absorventes descartáveis. Foto: Reprodução/Fleurity

O coletor menstrual Fleurity da linha POP, teve sua venda proibida pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) a partir da determinação publicada na última quarta-feira (3). A resolução proibe a fabricação, distribuição, comercialização e também a propaganda do produto.

De acordo com a Anvisa, o coletor menstrual da marca estava sendo comercializado sem aprovação e regulamentação do órgão, portanto, de forma irregular. No dia seguinte a publicação da resolução, quinta-feira (4), o produto começou a ser retirado dos pontos de venda e do site.

O coletor menstrual da linha POP era o mais acessível entre os modelos vendidos pela Fleurity e um dos mais populares da marca. O produto era comercializado pelo valor médio de R$ 30, metade do preço praticado em outras linhas e por outras empresas do mercado.

O coletor menstrual é um “copinho” de silicone utilizado durante o período menstrual para armazenar o sangue, uma alternativa sustentável para susbstituir os absorventes descartáveis. O produto é reutilizável e deve ser higienizado e esterilizado no início e no final de cada ciclo menstrual, com vida útil de até três anos.


Leia mais sobre: / Geral

Luana Cardoso

Luana

Estagiária de Jornalismo do convênio entre a UFG e o Diário de Goiás.