18 de abril de 2024
Retaliação • atualizado em 27/02/2024 às 15:52

Deputados que assinaram pedido de impeachment de Lula sofrem ameaças

Há especulações de que o governo federal vai retirar dos deputados envolvidos postos, cargos e serão menos atendidos em contemplaçõds de emendas parlamentares
Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

Os deputados que assinaram o pedido de impeachment do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) sofrerão retaliações do governo federal. De acordo com informações da Folha de S.Paulo, membros do governo afirmaram a lideranças da Câmara dos Deputados que os parlamentares envolvidos terão consequências junto ao Executivo.

Conforme especulações, os deputados favoráreis ao impeachment de Lula poderão perder postos, cargos e até serem menos atendidos em emendas parlamentares. Segundo a Folha, a informação foi dada pelo líder do governo na Câmara, José Guimarães (PT-CE), a líderes da base do governo em reunião, que aconteceu nesta terça-feira (27).

De acordo com a deputada federal Carla Zambelli (PL), que encabeçou a ação, no pedido de impeachment de Lula há 140 assinaturas, entre elas, nomes de deputados que integram a base aliada. Nesse sentido, compõem a lista representantes do União Brasil, Republicanos, PP e PSD. O UB e o PSD com três nomes na Esplanada dos Ministérios, e Republicanos e PP com um cada.

Os nomes dos deputados da base que compõem a lista foram repassados aos líderes da Câmara para que uma força-tarefa para retirada de apoios seja iniciada. Líderes das bancadas no Congresso Nacional afirmam que não vêem o processo prosperar.

Agora, a abertura do processo de impeachment de Lula depende da análise do presidente da Câmara, Arthut Lira (PP), que não tem data definida para dar resposta à solicitação. Se ele optar pelo arquivamento, ainda pode haver recurso ao plenário.


Leia mais sobre: / / / Política

Luana Cardoso

Luana

Estagiária de Jornalismo do convênio entre a UFG e o Diário de Goiás.