15 de junho de 2024
Política

Deputados de oposição vão pedir impeachment de Marconi Perillo

Após a divulgação da reportagem de capa da revista Carta Capital, assinada pelo jornalista Leandro Fortes, que revelou o esquema ilegal de espionagem comandado de dentro do Palácio das Esmeraldas, os deputados estaduais do PT anunciaram que vão protocolar um pedido de impeachment contra o governador do Estado, Marconi Perillo (PSDB).

A iniciativa foi do deputado Mauro Rubem (PT) que antecipou também a apresentação de um pedido para instauração de uma Comissão Parlamentar de Inquérito para investigar as denúncias contra a gestão tucana.

Segundo provas levantadas pela Carta Capital, há em Goiás um esquema de espionagem desenhado e comandado de gabinetes do Palácio das Esmeraldas. O próprio governador escalou assessores para contratar um hacker (um jovem estudante de medicina identificado no Twitter como Mr. Magoo) para grampear telefones e invadir e-mails perfis no Twitter de aliados e adversários dele, governador. A revista mostra também que o hacker criou mais de 90 perfis falsos (fakes) no Twitter para defender Marconi e atacar seus desafetos.

Os operadores do esquema, segundo a reportagem, são os radialistas Eni Aquino e Luiz Gama, com os pagamentos sendo feitos pelo ex-presidente da Agecom, José Luiz Bittencourt e pelo Secretário de Articulação Política, Sérgio Cardoso, cunhado do governador.

Entre as vítimas da espionagem estão o  presidente do PRP, Jorcelino Braga; o vice-presidente do PRP, Gercyley Batista; o jornalista Altair Tavares; o gestor Carlos Bueno; o vice-presidente do PHS e assessor pessoal do governador, Elaino Garcia; o presidente da Rede Fonte de Comunicação, César Augusto de Sousa; o deputado estadual Fábio Sousa (PSDB); o deputado estadual Túlio Isac; o secretário estadual de Educação Thiago Peixoto; e o ex-prefeito de Goiânia Nion Albernaz (PSDB).

O deputado justifica que o fato é muito grave e merece ampla investigação. “Por muito menos, nos anos 70, um presidente dos Estados Unidos (Ricard Nixon) acabou tendo de renunciar, depois de aberto um pedido de impeachment”. Na época, ficou provado que Nixon espionava o Partido Democrata, adversário dos republicanos. Para a CPI ser instalada, o requerimento necessita de 14 assinaturas. A oposição conta com 16 parlamentares na Casa.

(Com informações da assessoria de imprensa e da revista Carta Capital)


Leia mais sobre: / Política