28 de maio de 2022
Projeto • atualizado em 13/05/2022 às 09:52

Deputado apresenta matéria que reforça o uso do João Leite apenas como reservatório e captação de água

A matéria reforça que o parque se destina, exclusivamente, a preservar a qualidade das águas do reservatório de captação de águas para abastecimento público de Goiânia e região Metropolitana
(Foto: Divulgação/Governo de Goiás)
(Foto: Divulgação/Governo de Goiás)

Após a polêmica do projeto que permite o uso recreativo do Reservatório João Leite, defensores e especialistas em meio-ambiente criticaram a proposta. E para reforçar que a barragem é destinada apenas para a captação de água, o deputado  Helio de Sousa (PSDB) apresentou na Assembleia Legislativa o projeto de lei que altera a proposta que cria o Parque Estadual do João Leite.

A matéria reforça que o parque se destina, exclusivamente, a preservar a qualidade das águas do reservatório de captação de águas para abastecimento público de Goiânia e região Metropolitana, além de preservar a flora e fauna, as belezas cênicas e controlar a ocupação do solo na região. Ainda pode ser usado para fins científicos, bem como para o desenvolvimento de atividades de educação e interpretação ambiental.

De acordo com o deputado, a proposta se justifica tendo em vista a existência de notícias veiculadas pela mídia, da intenção de se liberar a barragem do João Leite, para destino de visitação e lazer, por meio da transformação de unidades de conservação.

Continua após a publicidade

“É inquestionável o prejuízo que essa medida causa ao meio ambiente. Nesse sentido, o Jornal O Popular veiculou entendimento de especialistas, a exemplo de Everaldo Pastare, na esteira de que o uso público do parque deve ser contido, vez que foram criados para proteger a vegetação”, escreve Helio de Sousa.

Ainda segundo o deputado, servidores da Saneago e técnicos sanitaristas pontuaram que a preservação está sendo colocada em segundo plano, pois não existe a garantia de prioridade para o abastecimento público, à medida que esse é colocado no mesmo nível do turismo.

A matéria foi encaminhada para a Comissão de Constituição, Justiça e Redação da Casa, onde foi distribuída à relatoria para o deputado Charles Bento  (MDB).      

Continua após a publicidade

Leia também: