19 de junho de 2024
Cidades

Depois de 71 dias, chega ao fim greve da UEG

A greve de professores e alunos da Universidade Estadual de Goiás (UEG) chegou ao fim segundo decisão aprovada em Assembleia no fim da tarde desta quarta-feira (24). O resultado do acordo entre os manifestantes e a reitoria foi publicado, em nota, no site da instituição. As aulas retornam no dia 1º de agosto.

Veja a nota na íntegra:

A negociação para o fim da greve na Universidade Estadual de Goiás (UEG) começou no início da manhã da terça-feira, 24 de julho, com uma reunião entre membros da Reitoria e da Comissão de Negociação, na sala da Reitoria, em Anápolis. Nesta reunião foram repassados mais uma vez os pontos da pauta de reivindicações. De acordo com o reitor Haroldo Reimer “alguns pontos ainda sofreram ajustes”.

O ponto mais polêmico dessa reunião foi o do arquivamento da ação declaratória movida pela UEG e que por decisão liminar do Tribunal de Justiça do Estado de Goiás considerou a greve ilegal e abusiva.

Ao final da reunião ficou estabelecido que, em havendo a decisão pelo término da greve neste dia 24, seria celebrado um termo de compromisso com uma sinopse dos acordos quanto à pauta de reivindicações, bem como o compromisso de buscar junto ao Judiciário a homologação da decisão do arquivamento do processo liminar.

No período da tarde o Movimento Mobiliza UEG realizou uma assembléia na Unidade Universitária da UEG de Ciências Socioeconômicas e Humanas de Anápolis (UnUCSEH) e por volta das 18 horas, em votação, decidiu-se por 42 votos favoráveis pela proposta do fim da greve. A proposta de continuação da greve obteve 26 votos.

Após este resultado o reitor Haroldo Reimer, a pró-reitora de Planejamento, Gestão e Finanças, professora Sueli Freitas, a chefe de gabinete Juliana Almada e o gerente jurídico, advogado Karlos Matias, foram até a UnUCSEH para que fosse lavrado e assinado o termo de compromisso para o final da greve.

Para o reitor o período de greve foi “um tempo de debates acalorados e de aprendizados mútuos”. Haroldo Reimer ressaltou que “no conjunto houve uma série de conquistas e ganhos para toda a Universidade. Espera-se que a partir de Grupos de Trabalhos a Universidade exercite cada vez mais o planejamento e a gestão no cenário da Autonomia a ser regulamentada em breve”.

O retorno das aulas nas Unidades Universitárias que ingressaram na greve será no dia 01º de agosto.”


Leia mais sobre: Cidades