24 de maio de 2022
Cidades

Delegada suspeita do uso de silicone industrial em procedimentos estéticos

Até o momento, a Polícia Civil identificou 14 mulheres que dizem ter passado pelo procedimento para aumentar os glúteos com Raquel Policena Rosa, e o namorado dela, Fábio Ribeiro.

O casal está sendo investigado por aplicar uma substância, suposto hidrogel, na auxiliar de leilões Maria José Medrado de Souza Brandão, de 39 anos, que morreu após a aplicação.

Continua após a publicidade

De acordo com o jornal O Popular, uma terceira pessoa também está sob investigação. Ela teria iniciado o esquema dos procedimentos. Segundo a titular do 17° Distrito Policial de Goiânia, delegada Myriam Vidal, as aplicações da substância ocorreram em locais diferentes de Goiânia: um espaço terapêutico no Setor Marista, um quarto de hotel no Setor Oeste e uma clínica de estética no Parque das Laranjeiras.

Segundo Myriam, Raquel realizou o procedimento depois que outras seis mulheres procuraram a polícia para contar a situação que estão vivendo após a aplicação, semelhante ao quadro de Maria José.

A delegada também foi comunicada pelo Departamento de Vigilância Sanitária de Goiânia, de que o órgão recebeu denúncia sobre os procedimentos na clínica do Setor Marista. Essas seis vítimas foram encaminhadas para o Instituto Médico Legal (IML) para fazer exame de corpo de delito e ver a gravidade das lesões.

Continua após a publicidade

A suspeita de Myriam Vidal é de que Raquel, que se dizia biomédica, não usava hidrogel, e sim silicone industrial ou metacril, um produto acrílico. Ela deve fazer um ofício esta semana para tentar descobrir os possíveis produtos utilizados no procedimento de Maria José.

A investigada que se apresentava como biomédica, estudou apenas até o ensino médio e fez um curso de 15 dias numa clínica estética no interior de São Paulo.

O advogado dela, Ricardo Naves afirmou que a cliente está muito abalada e assustada. Segundo ele, ela admite ter aplicado hidrogel em apenas 5 das 14 vítimas que se apresentaram a polícia. De acordo com o defensor, a polícia está atribuindo a Raquel, paciente que realizaram o procedimento com outra profissional de estética.

Essa esteticista seria uma mulher do Rio de Janeiro que vem para Goiânia, para realizar a bioplastia. Ainda de acordo com Ricardo Naves, foi essa mulher que apresentou o procedimento para Raquel.

Leia mais sobre:
Cidades