21 de maio de 2024
Pesquisa

Datafolha: 51% dos brasileiros defendem inelegibilidade de Bolsonaro e 45% são contra condenação

Conforme o levantamento, a maioria dos entrevistados acreditam que a perda dos direitos políticos é a punição mais correta para Bolsonaro
Bolsonaro é alvo de 16 processos no TSE. (Foto: Divulgação)
Bolsonaro é alvo de 16 processos no TSE. (Foto: Divulgação)

Um novo levantamento divulgado pelo Datafolha nesta terça-feira (4), mostra que 51% dos eleitores brasileiros acreditam que o ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) deve se tornar inelegível por oito anos, conforme a lei, e também condenado por sua campanha contra as urnas eletrônicas.

Outros 45% acreditam que o ex-presidente é inocente e não deve ser punido pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE); 4% não souberam responder.

Conforme o levantamento, a maioria dos entrevistados acreditam que a perda dos direitos políticos é a punição mais correta para Bolsonaro. O ex-presidente não acredita no processo eleitoral desde 2019, antes mesmo de tomar posse. Vale lembrar que naquele ano, Bolsonaro alegou fraude nas urnas eletrônicas até mesmo após a própria vitória na eleição de 2018.

Nas eleições de 2022, quando foi derrotado pelo então candidato Luiz Inácio Lula da Silva (PT), o partido de Jair Bolsonaro, PL, apresentou uma ação em que pedia a anulação dos votos de 279.336 urnas eletrônicas. O pedido foi negado pelo ministro Alexandre Moraes, presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Após o episódio, o ministro condenou o partido a pagar uma multa de R$ 22,9 milhões.

O ex-presidente Bolsonaro é alvo de 16 processos no TSE. Um deles, investigado pelo corregedor-geral da Justiça Eleitoral, ministro Benedito Gonçalves, teve o encerramento da fase instrutória na última sexta-feira (31) e estará pronto para ser julgado em breve. Foi aberto um prazo para que as partes façam suas últimas alegações.

O Datafolha entrevistou 2.028 pessoas com 16 anos ou mais em 126 municípios de todo o país. A pesquisa foi feita entre os dias 29 e 30 de março. A margem de erro da pesquisa é estimada em dois pontos percentuais para mais ou menos. 


Leia mais sobre: / / Política

Leonardo Calazenço

Jornalista - repórter de cidades, política, economia e o que mais vier! Apaixonado por comunicação e por levar a notícia de forma clara, objetiva e transparente.