26 de maio de 2022
Destaque

Dados mostram que risco de morrer é bem maior em não vacinados, diz Opas

Vaincação contra covid - Vacina Astrazeneca - Centro de Saúde n°13, 23/07/2021 Fotos: Myke Sena/MS
Vaincação contra covid - Vacina Astrazeneca - Centro de Saúde n°13, 23/07/2021 Fotos: Myke Sena/MS

Diretor assistente da Organização Pan-Americana de Saúde (Opas), Jarbas Barbosa criticou nesta quarta-feira o fato de que as mortes de pessoas vacinadas por covid-19 gerem dúvidas em parte da população sobre a eficácia do imunizante. Segundo ele, sempre é possível que uma pessoa acabe por contrair uma doença ou morrer, o que ocorre com vacinas para qualquer doença. Nesse contexto, Barbosa enfatizou que o risco de uma pessoa não vacinada morrer é muito superior.

“Não há dúvidas, em todos os países, os dados informam que o risco de morrer ou de ter forma grave é muito menor entre pessoas vacinadas que nas não vacinadas”, disse a autoridade, durante entrevista coletiva virtual da entidade.

Barbosa citou como exemplo os Estados Unidos e um relatório recente do serviço de saúde local, que já inclui a onda causada pela variante Ômicron do vírus. O documento mostra que “o risco de morrer entre os não vacinados é 68 vezes maior que entre os vacinados”, mencionou.

Continua após a publicidade

Ele disse ainda que a melhor maneira de se proteger, “de salvar vidas, é a vacinação e se manter as medidas como o uso de máscaras e outras que sabemos que podem prevenir” a disseminação do vírus. (Por Gabriel Bueno da Costa/Estadão Conteúdo)

Leia mais sobre:
Brasil Destaque