19 de junho de 2024
Saúde feminina

Cresce alerta sobre uso indevido ou excessivo de testosterona em mulheres; entenda as consequências

Médico explica que não é em todo caso que aplicação deste hormônio pode solucionar problemas pré-existentes
A testosterona acaba sendo vendida como produto para aumentar libido ou massa muscular, mas pode trazer sérias consequências para a saúde feminina. (Foto: reprodução)
A testosterona acaba sendo vendida como produto para aumentar libido ou massa muscular, mas pode trazer sérias consequências para a saúde feminina. (Foto: reprodução)

A discussão, não tão recente, sobre a aplicação de testosterona em mulheres vem crescendo ultimamente e gerando, em alguns casos, certos problemas. Isso porque essa reposição hormonal não é necessária para todas as mulheres como prometem muitos profissionais. Há casos, inclusive, em que é prometido que a testosterona traga mais libido e/ou massa muscular, o que não é sempre verdade.

Quem explica é o médico intensivista e nutrólogo José Israel Sanchez Robles, que alerta sobre o uso indevido de testosterona no público feminino. “A diminuição da  libido na mulher  não está relacionada apenas ao   nível de testosterona no sangue, já que existem outras causas que influenciam direta ou indiretamente”, diz ele, pontuado situações como o “pós-parto, lactação, menopausa, estresse; distúrbios hormonais, antidepressivos, alterações emocionais, depressão, obesidade e até lesões locais que causem dor na relação sexual”. Sendo assim, não é somente o aumento da testosterona no corpo que irá salvar a libido da mulher.

O especialista lembra, ainda, que a testosterona é um hormônio esteroide andrógeno que é produzido principalmente pelos testículos em homens e pelos ovários em mulheres, embora também seja produzido em quantidades menores pelas glândulas adrenais. “A testosterona desempenha um papel importante na manutenção da saúde sexual, do desenvolvimento muscular, da densidade óssea e do humor, entre outras funções”.

Sobre o aumento de massa muscular, para uma mulher realmente ganhar massa muscular com esteróides, as doses de testosterona que poderiam precisar seriam altas, atingindo níveis sanguíneos semelhantes aos presentes no homens, o que pode trazer malefícios graves. “O uso excessivo de testosterona pode causar acne, aumento do crescimento de pêlos, voz rouca, aumento do clitóris, alterações no ciclo menstrual, aumento do risco de doença cardiovascular e redução da tolerância à glicose. Além disso, o uso de testosterona em mulheres grávidas pode levar a efeitos adversos no feto”, conta o médico.

É importante mencionar que  a reposição de testosterona não é necessária nos casos de menopausa e também não possui efeito no emagrecimento. “Aplicar testosterona na mulher, inclusive, pode provocar aumento da circunferência abdominal e aumento de gordura no fígado”, conclui.

O especialista, porém, reforça que a testosterona não é proibida para mulheres, mas que deve ser usada com cuidado. “A reposição de testosterona é indicada  no caso de mulheres com a síndrome do desejo hipoativo, um distúrbio sexual caracterizado pelo desinteresse pelas relações sexuais durante um período maior que 6 meses”, conta.

O ideal é que a mulher procure um especialista para uma avaliação adequada e individualizada. “Neste caso, um endocrinologista, ginecologista ou psiquiatra podem ajudar. Desta forma, a reposição de testosterona poderá ser feita de forma correta e segura na mulher, após avaliação do nível de hormônios como estrogênio,  após investigação de comorbidades como depressão e obesidade, do uso de  outras medicações ou até da presença de  fatores externos como relacionamentos profissionais ou conjugais. Mulheres que estão considerando o uso de testosterona devem discutir os possíveis benefícios e riscos com um médico antes de iniciar o tratamento.”, explica.


Leia mais sobre: / / Saúde

Carlos Nathan Sampaio

Jornalista formado pela Universidade Federal e Mato Grosso (UFMT) em 2013, especialista Estratégias de Mídias Digitais pelo Instituto de Pós-Graduação e Graduação de Goiânia - IPOG, pós-graduado em Comunicação Empresarial pelo Senac e especialista em SEO.