28 de junho de 2022
Destaque 2

CPI em Senador Canedo vai investigar suposta compra superfaturada de medicamento

Três denúncias e uma CPI em Senador Canedo. Foto> Lucas Monteiro.
Três denúncias e uma CPI em Senador Canedo. Foto> Lucas Monteiro.

Por 14 votos favoráveis e nenhum contrário, a Câmara Municipal de Senador Canedo aprovou, nesta quinta-feira (22), um requerimento para abertura de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que investigará uma denúncia de suposto superfaturamento na compra de medicamento na Secretaria Municipal de Saúde.

“Nós estamos pedindo hoje, na Câmara, uma abertura de Comissão Parlamentar de Inquérito para investigar a compra superfaturada de medicamento na Secretaria Municipal de Saúde mediante uma denúncia feita por uma cidadã”, explicou o vereador Reinaldo Alves (DEM).

Os trabalhos no Legislativo referentes à CPI serão iniciados nos próximos dias, a Casa terá 120 dias para apresentar um resultado sobre a denúncia em questão.

Continua após a publicidade

Também nesta quinta-feira (22), os vereadores aceitaram mais uma denúncia contra o prefeito Fernando Pellozo (PSD). Pelo mesmo placar (14 votos), os parlamentares irão investigar um possível contrato irregular de auditoria no Instituto de Assistência Médica dos Servidores do Município de Senador Canedo (Iamesc).

“Foi apresentado uma denúncia por um cidadão aqui de Senador Canedo em face das contratações da Iamesc e nessa denúncia relata que tem um médico contratado para ser auditor, ao mesmo tempo é sócio de um hospital que é contratado também e ele enquanto médico também presta serviço”, esclarece Reinaldo. Esta foi a terceira denúncia aceita pela Casa que investiga o Executivo.

A primeira foi no dia 6 de abril, na oportunidade moradores de Senador Canedo denunciaram uma possível irregularidade de um contrato da prefeitura com um hospital privado do município. Segundo o documento, o proprietário não podia realizar contrato com o poder público devido a uma condenação que ele teria sofrido.

Continua após a publicidade

Já a segunda denúncia ocorreu na terça-feira (20), um decreto do Executivo reajustando o salário dos servidores teria irregularidade porque o trâmite correto seria um Projeto de Lei que teria que passar pela Câmara. Na ocasião, 12 vereadores votaram a favor de aceitar a denúncia, um votou contra.

Procurado pelo Diário de Goiás para comentar o caso, o prefeito respondeu em nota afirmando que todo o trabalho de sua gestão é feito de forma honesta.

“A prefeitura de Senador Canedo reafirma que todo o trabalho realizado por esta gestão segue os princípios da honestidade, seriedade e da eficiência”, diz trecho da nota.

Ainda em nota, o prefeito afirma que seguirá “firme, até o fim da gestão, trabalhando pela população e não por interesses particulares”.