26 de fevereiro de 2024
Tensão política

CPI do 8 de janeiro representa “terceiro turno” e vai aumentar polarização, avalia José Nelto

Para parlamentar, está posto que o ex-presidente Jair Bolsonaro tentou aplicar golpe durante sua gestão
José Nelto (Foto: Divulgação/Câmara dos Deputados)
José Nelto (Foto: Divulgação/Câmara dos Deputados)

O deputado federal José Nelto (PP-GO) apesar de ter entregado assinatura para abrir a Comissão Parlamentar Mista de Inquérito para apurar os atos golpistas do dia 8 de janeiro, está confiante que ela trará luz as dúvidas que permeiam um dos dias mais nebulosos da democracia recente do país. No entanto, crava que ela vai paralisar reformas importantes e a economia. A declaração foi dada nesta segunda-feira (01/05) ao Jornal O Popular.

A declaração foi dada num momento em que, com a CPI protocolizada, os parlamentares agora passam a definir seus integrantes e os nomes que irão conduzir os trabalhos da comissão. André Fufuca (PP), Renan Calheiros (MDB) e Osmar Aziz (PSD) estão cotados para serem relatores da comissão.

Nelto avalia que a CPI vai representar “o terceiro turno” e ainda vai aumentar “mais ainda a divisão do país”. No entanto, algumas constatações devem ser feitas: a comprovação que Bolsonaro tentou aplicar golpes durante seu mandato. Já Lula? “Perdeu três eleições e hora nenhuma criou problema”, avalia.

“É uma CPI política que representa o terceiro turno e vai aumentar mais ainda a divisão do País. Agora, está comprovado que quem quis dar o golpe durante os quatro anos foi o Bolsonaro. O Lula perdeu três eleições e hora nenhuma criou problema. Não quis dar golpe, não desmoralizou as urnas. A CPI vai mostrar a verdade, mas vai paralisar as reformas e atrapalhar a economia”, destacou.


Leia mais sobre: Política

Domingos Ketelbey

Jornalista e editor do Diário de Goiás. Escreve sobre tudo e também sobre mobilidade urbana, cultura e política. Apaixonado por jornalismo literário, cafés e conversas de botequim.