17 de agosto de 2022
Maioria governista

CPI da Saúde na Assembleia Legislativa tem composição definida; veja os nomes

Os trabalhos da Comissão Parlamentar de Inquérito estão previstos para começar nesta terça-feira (28)
A expectativa é a de que o relatório seja apresentado em cerca de uma semana (Foto: Divulgação/Alego)
A expectativa é a de que o relatório seja apresentado em cerca de uma semana (Foto: Divulgação/Alego)

O presidente da Assembleia Legislativa do Estado de Goiás (Alego), Lissauer Vieira (PSD), assinou, na segunda-feira (28/06), requerimento para instaurar a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Saúde.

Os trabalhos, previstos para começar nesta terça-feira (28/06), preveem investigação de “denúncias de favorecimento, má gestão, omissão de socorro, prevaricação, desobediência e improbidade administrativa por parte dos gestores da Central de Regulação”.

LEIA TAMBÉM: Ismael Alexandrino classifica CPI da Saúde como “legítima”, mas de “cunho político”

Continua após a publicidade

No início do mês, após manobra da oposição, Lissauer revogou ato que instaurou a CPI da Saúde a fim de obedecer a proporcionalidade partidária. Agora, a composição tem maioria de parlamentares da base do governador Ronaldo Caiado (União Brasil).

Os novos integrantes são os seguintes: Delegado Humberto Teófilo (Patriota), Paulo Trabalho (PL), Francisco Oliveira (MDB), Talles Barreto (União Brasil) e Wilde Cambão (PSD), sendo apenas os dois primeiros de oposição.

Os suplentes também estão definidos. São eles: Gustavo Sebba (PSDB), Álvaro Guimarães (União Brasil), Amilton Filho (MDB), Cairo Salim (PSD) e Paulo Cezar Martins (PL).

Continua após a publicidade

Pegos de surpresa, governistas criticaram a criação da CPI, alegando motivação política. Com a maioria, porém, a expectativa é a de que o relatório seja apresentado em cerca de uma semana e, dessa forma, as atividades devem ser encerradas rapidamente, embora oposicionistas prometam fazer barulho.

Leia mais sobre:
Política