12 de agosto de 2022
PSDB • atualizado em 16/07/2022 às 06:39

Cotado para o governo estadual, Marconi Perillo define candidatura neste sábado (16)

O Senado, apesar de pouco provável, ainda é uma possibilidade para o tucano
Marconi Perillo tende a concorrer, pela quinta vez, ao cargo de governador (Foto: Reprodução)
Marconi Perillo tende a concorrer, pela quinta vez, ao cargo de governador (Foto: Reprodução)

Os militantes do PSDB em Goiás se reúnem, neste sábado (16/07), a partir das 9 horas, no Clube Jaó, em Goiânia, para definir a qual cargo o ex-governador Marconi Perillo deve concorrer nas próximas eleições.

Nas bolsas de apostas tucanas, o mais provável é uma candidatura para tentar voltar ao Palácio das Esmeraldas, que ele já ocupou por quatro mandatos.

O Senado, apesar de pouco provável, ainda é uma possibilidade. Os postulantes do PSDB a uma vaga de deputado estadual e federal costumam argumentar que a candidatura ao governo estadual tem mais potencial para fortalecer o partido.

Continua após a publicidade

LEIA TAMBÉM: Os caminhos que levaram Marconi Perillo à pré-candidatura ao Governo de Goiás

“É o clamor da maioria dos aliados, e também o meu desejo. Nos últimos meses, ele tem ouvido as pessoas e revisitando lugares onde sempre teve força. O anúncio da candidatura ao governo é um movimento natural”, afirmou a vereadora Aava Santiago ao Diário de Goiás.

Pré-candidato a deputado federal, assim como Aava, Matheus Ribeiro disse, durante participação no programa DG Entrevista, que Marconi tem condições de ir para os debates de forma contundente. “Ele tem um grande legado ao estado de Goiás. Ninguém vence quatro eleições sem ter um trabalho muito estável.”

Continua após a publicidade

Uma vez confirmada a candidatura ao governo estadual, o PSDB terá menos de um mês para montar a chapa majoritária. Para ocupar a vaga de senador, há uma expectativa de atrair eventuais dissidentes da base do governador Ronaldo Caiado (União Brasil).

O senador Luiz do Carmo (PSC), que quer tentar a reeleição, e o deputado estadual e presidente da Assembleia Legislativa do Estado de Goiás (Alego), Lissauer Vieira (PSD), são duas opções especuladas nos bastidores.

Por enquanto, devido à federação a nível nacional, a única legenda que tem aliança com o PSDB em Goiás é o Cidadania, que não reivindica necessariamente um espaço na chapa.

Há, ainda, quem pense em composições com o ex-prefeito de Aparecida de Goiânia Gustavo Mendanha (Patriota) e o ex-reitor da Pontifícia Universidade Católica de Goiás (PUC-GO) Wolmir Amado (PT), mas ambos os casos são tidos como praticamente descartados.

LEIA TAMBÉM: Chance de aliança entre Marconi Perillo e Gustavo Mendanha é zero, afirma Jorcelino Braga
LEIA TAMBÉM: ‘PSDB tem dificuldade em caminhar com o PT em Goiás’, avalia Antônio Gomide