09 de agosto de 2022
Cidades

Conselho de Enfermagem instaura procedimento para apurar conduta de profissional que deixou de vacinar idosa em Goiânia

Idosa não foi vacinada na primeira tentativa, em Goiânia. (Foto: Reprodução)
Idosa não foi vacinada na primeira tentativa, em Goiânia. (Foto: Reprodução)

O Conselho Regional de Enfermagem de Goiás (Coren-GO) instaurou um procedimento ético-disciplinar para apurar o caso da não aplicação de uma dose da vacina contra a Covid-19 em uma idosa, na última semana, em Goiânia.

O Coren afirmou que apura o caso desde que as primeiras informações surgiram. O procedimento instaurado pelo conselho utiliza reportagens veiculadas sobre o fato.

Também foi designada fiscalização para verificação das informações. A fiscal foi aos responsáveis pela vacinação na Secretaria Municipal de Saúde de Goiânia e na Área I da PUC Goiás, onde aconteceu o caso.

Continua após a publicidade

Ao receber o relatório da fiscalização, a presidência do Coren iniciou o rito do processo, designando uma conselheira relatora que em posse dos dados emitirá um parecer de admissibilidade dos indícios de uma infração ética ou disciplinar.

Em nota, o Coren informou que “até o presente momento não recebeu nenhuma notificação da Secretaria Municipal de Saúde, da Pontifícia Universidade Católica de Goiás ou do Ministério Público sobre o caso”.

O documento diz que também não há denúncia por parte da idosa ou dos familiares.

Continua após a publicidade

Segundo o conselho, depois do processo, se comprovada conduta anti-ética, a profissional poderá receber a penalidade de acordo com o ato praticado, podendo ser desde uma advertência verbal até mesmo a cassação do exercício profissional.