25 de julho de 2024
Política

Em festa para receber José Eliton, pepistas vislumbram candidatura própria em 2018

 

Alçado ao cargo de vice-governador do Estado por meio de indicação do Democratas, presidido em Goiás por Ronaldo Caiado, José Eliton agora é oficialmente integrante do PP. A aguardada cerimônia de filiação ocorreu na manhã desta quinta-feira, no Sol Music Hall, do Clube Jaó, em Goiânia, com grande presença da militância do partido e com o prestígio de líderes nacionais, como o senador e presidente nacional Ciro Nogueira, o ministro das Cidades, Aguinaldo Ribeiro, deputados federais e senadores da legenda.

 

A festa já era aguardada há mais de um mês, desde que Eliton anunciou a saída do DEM, mas ganhou novos contornos depois que o ex-partido questionou o mandato dele na Justiça por infidelidade partidária. Assim que chegou ao local, o vice-governador concedeu entrevista rápida, com tom de soldado. “É um partido que tem tradição em Goiás e no Brasil. Venho para ajudar esse partido a formatar projetos importantes. Todos me deixam muito felizes com a presença, nós queremos fazer com que Goiás continue crescendo”.

No entanto, Eliton não nega que tem o objetivo pessoal de se manter na vice-governadoria no ano que vem. E mais. Ele crê que a legenda pode pavimentar espaço para uma candidatura quatro anos mais tarde. “Em 2018, o PP terá candidatura”, vislumbra.

A afirmação do novo filiado foi reforçada por Ciro Nogueira, que também deu entrevista rápida e disse que a legenda tem projetos ambiciosos. “Ele está chegando para ser uma referência do em um momento importante. Nós queremos ter um grande projeto em 2018. Temos trajetória, bandeira e estamos vivendo um grande momento”.

Espaço na chapa

Eliton dividiu o palco com outro nome forte da base aliada à Marconi Perillo que também pleiteia a vaga de vice na chapa majoritária do ano que vem: José Gomes, ex-prefeito de Itumbiara, do PP, mas de saída para o PTB de Jovair Arantes. Jovair tem reivindicado mais espaço para a sigla e demonstra estar disposto a brigar pela vice.

Enquanto Gomes – primeiro a discursar – fez críticas à oposição, José Eliton preferiu centrar o discurso em elogios a Marconi Perillo. Ele disse ter acompanhado, ainda jovem, a primeira vitória de um então desconhecido “moço da camisa azul”, em 1999. A expressão foi repetida pelo menos quatro vezes para se referir a Marconi, de quem ele disse ter a “honra” de ter se tornado vice.

Balestra e Sandes

Mas, Eliton não foi o único a rasgar elogios durante a cerimônia. O deputado federal Roberto Balestra, presidente do PP em Goiás, aproveitou parte do discurso para pedir desculpas ao companheiro de Câmara e de sigla Sandes Júnior. Recentemente, Sandes demonstrou, pela imprensa, insatisfação com a divisão das pílulas do partido na TV.

Balestra, minimizou: “Nós tivemos alguns atritos por pontos de vista. Mas nunca tomei nenhuma atitude que não fosse pelo partido e a resposta está aqui”, disse, e foi aplaudido. “Sandes, se um dia eu te ofendi, quero pedir desculpas e não é da boca, mas de coração”, completou e ouviu mais palmas.

Quem diria?

Dois fatos chamaram atenção na festa de filiação de Eliton. Antes dos discursos de Sandes Júnior, Balestra e do vice-governador, o cerimonial do evento apresentou vídeos com as trajetórias políticas dos três. Antes da fala de Sandes, o vídeo exibiu, pelo menos três vezes, fotos dele com o ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva. O governador Marconi Perillo, que recentemente chamou Lula de “canalha”, estava no palco e fez cara de paisagem.

Também surpreendeu a presença do deputado estadual Ney Nogueira ao evento. Embora filiado ao PP, ele é ligado ao ex-governador Alcides Rodrigues, tem comportamento de oposição na Assembleia e pode deixar a sigla.


Leia mais sobre: Política