13 de julho de 2024
Prepare o bolso

Combustível deve ficar mais caro com volta de impostos federais

O aumento nos insumos acontece após mais de um mês com o setor registrando queda nos preços
Combustível irá voltar a subir após cinco semanas (Foto: Agência Brasil)
Combustível irá voltar a subir após cinco semanas (Foto: Agência Brasil)

A gestão econômica do presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva (PT) optou por não prorrogar a desoneração de impostos federais como PIS e Cofins sobre os combustíveis, o que pode elevar o preço dos insumos já no próximo dia 1º de janeiro.

A decisão deve fazer os insumos aumentarem na bomba já nos primeiros dias de janeiro. A gasolina vai subir R$ 0,69 por litro, o etanol R$ 0,26 por litro, e o Diesel, R$ 0,33, por litro. O aumento nos insumos acontece após mais de um mês com o setor registrando queda nos preços.

De acordo com o presidente do Sindiposto em Goiás, Márcio Andrade, se o governo eleito não recuar da medida, empresários e consumidores serão prejudicados . “Esse impacto no preço é prejudicial tanto para o empresário que precisará dispor de mais capital de giro  e terá o seu movimento e vendas impactadas de forma negativa, além do consumidor que será o maior prejudicado que pagará a conta”, pontuou.

Márcio pontua que todo o setor econômico também sofrerá consequências. “Toda a economia sentirá o impacto com o aumento da inflação não só por conta do preço dos combustíveis mas de todos os produtos que dependem do uso de combustível para transporte e frete. Isso impacta de forma negativa como um todo, dificultando a situação financeira e econômica da população brasileira”, destacou.


Leia mais sobre: Cidades / Política

Domingos Ketelbey

Jornalista e editor do Diário de Goiás. Escreve sobre tudo e também sobre mobilidade urbana, cultura e política. Apaixonado por jornalismo literário, cafés e conversas de botequim.