23 de junho de 2024
Destaque 2

Com testes em casa, Aparecida inicia inquérito epidemiológico nesta semana

Testes rápidos serão feitos em casa. (Foto: Enio Medeiros)
Testes rápidos serão feitos em casa. (Foto: Enio Medeiros)

Aparecida de Goiânia inicia nesta semana um inquérito epidemiológico para verificar o número de pessoas que já contraíram o novo coronavírus e, portanto, desenvolveram anticorpos para o patógeno. A iniciativa ocorre em parceria com a Universidade Federal de Goiás (UFG).

Para isso, profissionais de saúde visitarão residências de 1.200 moradores para a realização de testes em domicílio. Além da testagem, os sorteados responderão a um questionário produzido por um pesquisador da UFG. A ideia é, a partir da pesquisa, definir estratégias adequadas para o combate à Covid-19 no município. Os resultados devem sair em 15 dias.

Os testes serão da modalidade IGg e IGm, os testes rápidos, que verificam a existência de anticorpos para o Sars-CoV-2. O teste é feito a partir da coleta de uma gota de sangue na ponta do dedo. “Esse material é colocado sobre a superfície do teste, que indicará se a pessoa teve contato com o Sars-CoV-2 e se já desenvolveu anticorpos para a doença.”, afirmou a coordenadora de Gestão e Inovação em Saúde da SMS, Érika Lopes .

“Enquanto o resultado do exame – que leva cerca de quinze minutos para ficar pronto – não sai, será aplicado um questionário com perguntas importantes para as análises estatísticas e projeções epidemiológicas”, completa a coordenadora. De acordo com ela, a metodologia foi definida pelos pesquisadores da UFG. São eles que também avaliarão os resultados estatísticos do inquérito epidemiológico.

Na avaliação do secretário de Saúde, Alessandro Magalhães, a testagem aleatória refletirá a circulação do vírus na cidade, uma vez que pessoas assintomáticas serão testadas. “O prefeito determinou a realização do estudo, pois entende que é importante termos mais dados para a estruturação de novos leitos e debatermos medidas apropriadas para uma futura flexibilização do isolamento social e a gradativa reabertura das atividades da cidade”, disse.

Magalhães revela que a intenção é realizar o procedimento em um período quinzenal. “A ideia é realizar ciclos de testagem aleatória a cada 15 dias, para acompanharmos a evolução da contaminação e estarmos sempre bem subsidiados em nossas decisões”.


Leia mais sobre: / Aparecida de Goiânia / Destaque 2