28 de junho de 2022
Aparecida de Goiânia

Com regras e orientação, academias voltam a funcionar em Aparecida de Goiânia

Estabelecimentos reabriram com regras. (Foto: Claudivino Antunes)
Estabelecimentos reabriram com regras. (Foto: Claudivino Antunes)

Academias voltaram a funcionar em Aparecida de Goiânia nesta quinta-feira (16), após quase 120 dias de fechamento. Já no primeiro dia, fiscais da Vigilância Sanitária estiveram nos estabelecimentos para orientar sobre o cumprimento das regras sanitárias impostas pelo Comitê de Prevenção e Enfrentamento ao Coronavírus.

A coordenadora da Gestão de Qualidade e Saúde da Vigilância Sanitária, Patrícia Lima, avaliou como satisfatório o que encontrou nos estabelecimentos visitados pelas equipes de fiscalização. “Os proprietários demonstraram bastante interesse em cumprir as novas determinações. E logo no primeiro dia percebemos que estão bem cientes do que deve ser feito e a maioria está buscando atender as restrições exigidas”, ressaltou.

Patrícia explica que neste primeiro momento será feito um trabalho de orientação para que os empresários se adequem. A partir da próxima segunda-feira (20) será iniciada a fiscalização. “Depois dessa adequação, os órgãos fiscalizadores estarão autorizados a tomar as devidas providências para quando haver o descumprimento dos protocolos e normas. Em casos de reincidência das infrações, o dono do estabelecimento estará sujeito a penalidade de multa, cassação das licenças municipais, e até mesmo a interdição dos estabelecimentos”, ressaltou Patrícia.

Continua após a publicidade

Para Thiago Conde Silva, proprietário da Academia Via Fitness, as perspectivas são boas. “Estamos retornando nossas atividades tendo uma excelente aceitação dos clientes em relação aos cumprimentos das restrições da academia. Se todos fizerem sua parte e cumprir as determinações, tenho certeza que vai dar tudo certo e o vírus será contido”, disse o empresário.

Restrições

As academias devem limitar e ordenar o seu público, bem como organizar as atividades, atendendo apenas 30% da capacidade máxima do estabelecimento, que é responsável também por fazer a medição da temperatura dos clientes na entrada do local e proibir o acesso daqueles que apresentarem quadro febril (temperatura acima de 38ºC).

Continua após a publicidade

O controle de acesso deve ser mantido sem o uso de digitais, para que se possa ter o número exato de pessoas no local. Um colaborador, na recepção, deve anotar nome, telefone e o horário de entrada e saída de cada cliente, sendo obrigatório o uso de máscaras descartáveis por todos os funcionários e alunos durante a permanência no estabelecimento, como também o distanciamento mínimo de 1,5 m.

Os bebedouros devem estar fechados, sendo de responsabilidade de cada praticante levar seu recipiente com água. Durante o horário de funcionamento do local, deve ser realizada a limpeza geral e a desinfecção de todos os ambientes pelo menos uma vez por período (matutino, vespertino e noturno).

O tempo de permanência de cada usuário no local deve ser de, no máximo, 60 minutos, por meio de agendamento prévio de horário. Deve haver um intervalo de tempo de, no mínimo, 15 minutos entre a saída de um grupo e a entrada de outro, de forma a evitar aglomeração. Pessoas do grupo de risco ou com sintomas não podem frequentar a academia no período da pandemia.

As academias deverão disponibilizar álcool 70% para higienização das mãos em pontos estratégicos e na saída do estabelecimento e durante a realização das atividades; Não é permitido o uso dos vestiários para banhos e trocas de vestimentas no local.

Esteiras, bicicletas ergométricas e similares devem manter distância de 1,5m entre eles, e que as academias adotem ventilação natural sempre que possível. É importante destacar que as atividades realizadas em piscinas devem ser desativadas e lanchonetes não podem comercializar bebidas alcoólicas.