17 de agosto de 2022
Chapa competitiva

Com ex-reitor da UFG no pleito, PT almeja eleger três deputados federais em Goiás

Edward Madureira promete criar 'bancada da educação' na Câmara dos Deputados
Presidenta do PT, Katia Maria no ato de filiação do ex-reitor da UFG, Edward Madureira (Foto: Divulgação)
Presidenta do PT, Katia Maria no ato de filiação do ex-reitor da UFG, Edward Madureira (Foto: Divulgação)

Em ritmo acelerado para a formatação das chapas para deputado federal e estadual, o PT em Goiás filia nesta segunda-feira (28/03) o ex-reitor da Universidade Federal de Goiás (UFG), Edward Madureira em seus quadros para a disputa de uma cadeira na Câmara dos Deputados, em Brasília. “O Edward é uma grande liderança. Tem condições de ser eleito. Nossa chapa de federal está muito boa”, destaca a presidente da legenda em Goiás, professora Kátia Maria.

Katia avalia que apesar de sempre ter sido necessário a participação de professores na política e parlamento, elegê-los neste momento é urgente. “Porque o desmonte da educação e o ataque a ciência e tecnologia está grande demais”, crava. “O Edward chega com toda a certeza somando muito, não apenas para a chapa do Partido dos Trabalhadores de Goiás e podendo fazer parte da bancada que vai ter que reestruturar a educação no Brasil.”, pontua. Ela acredita que o PT conseguirá eleger “dois ou três deputados federais”. “O nome de Edward com certeza estará nessa disputa”. 

Ao Diário de Goiás, em entrevista concedida em fevereiro, Madureira ainda buscava um partido mas já articulava a formatação de candidatos para a construção da “bancada da educação” em Brasília. “Temos um movimento nacional que são vários pré-candidatos, muitos deles ex-reitores de Universidades Federais e Institutos Federais. Já fizemos duas reuniões nacionais”, havia pontuado, destacando que novos encontros ocorreriam “com várias pessoas justamente trabalhando a representatividade da educação e da ciência, tanto na Assembleia Legislativa e no Congresso Nacional”.

Continua após a publicidade

De acordo com Madureira, o movimento é necessário haja vista o desmonte que não só a educação, como também setores como a ciência e tecnologia vivenciaram ao longo da última década. “Na educação, estamos trabalhando hoje com um orçamento que equivale a menos da metade do orçamento de 2014 e com ampliação significativa das nossas atividades. Na ciência e tecnologia a questão ainda é mais grave, estamos trabalhando com em torno de 30% do que tínhamos em 2014”, pontua.

A ideia então é ir em busca de candidatos competitivos para que a educação seja valorizada na Câmara Federal. “Construir uma bancada da educação e com ela, levar pautas. A educação costuma ser pauta importante só na eleição. Agora queremos que isso vá além da eleição com representantes genuínos da educação e ciência”, pondera.