22 de abril de 2024
Publicado em • atualizado em 13/02/2020 às 01:26

Wilder Morais: candidato a senador agora; depois, a governador

O senador Wilder Morais (PP) é candidatíssimo à reeleição, no ano que vem, e admite: pode disputar o governo de Goiás.

Segundo informação do Diário da Manhã desta terça, Wilder foi provocado por uma ouvinte do programa Falando Francamente, da Rádio Mil FM, que sugeriu sua candidatura a governador. Ele então respondeu: agora, não, mas, no futuro… quem sabe?

Wilder não foi eleito senador. Era suplente. Chegou lá no rastro da queda de Demóstenes Torres. Recentemente chamou a atenção como dono do barco que recebeu o então candidato a ministro do STF Alexandre Moraes para o que teria sido uma sabatina informal.

Nos últimos meses, Wilder tem buscado espaço na mídia e contato com líderes do interior. Empresário de bastidores das campanhas, sem tradição eleitoral, ele articula para se consolidar na política.

“Tomei gosto pela política, pois venho do interior, onde política é muito importante. Nasci numa cidadezinha pequeninha, em Taquaral, venho da roça”, contou ele na entrevista à rádio.

Hoje sua interação com prefeitos e vereadores é intensa, assim como sua corrida para mostrar serviço como senador de bons resultados para as chamadas bases.

Conta a favor de Wilder como candidato da atual base governista a lealdade que demonstra sempre ao governador Marconi Perillo, extensiva ao vice, José Eliton (ambos PSDB), pré-candidato ao governo.

Na entrevista, ele comemorou recente declaração de voto de Marconi à sua candidatura. “Agradeço muito o governador por abrir o voto dele. Quem não gostaria de ter o voto do governador Marconi numa luta para a reeleição? Ele disse que já tinha dois votos: um meu e o do José Eliton. E acho que o terceiro pode ser dele mesmo, caso também dispute as eleições, em Goiás”.

O governador abriu seu voto no rastro de uma acirrada crise na base do governo, alguns meses atrás. Foi vista como recado a Vilmar Rocha (PSD), que sonha com o Senado, e à senadora Lúcia Vânia (PSB), que também conclui o atual mandato ano que vem e deve buscar a reeleição.

À Rádio Mil, Wilder jogou água na fervura de outra crise, esta dentro de seu partido, o PP. Ele o deputado federal Roberto Balestra há tempos vêm se estranhando. Mas, ao que parece, se depender dele isso é passado.

“Minha relação com Balestra é muito boa”, garantiu. “Até meu pai morrer, há pouco tempo, o voto dele era certo: para o Balestra. Aliás, minha família toda sempre votou em Roberto Balestra. Temos divergências naturais de partido, mas tenho esperança de que muito em breve consigamos nos ajustar e caminhar juntos”.

Vassil Oliveira

Jornalista. Escritor. Consultor político e de comunicação. Foi diretor de Redação na Tribuna do Planalto, editor de política em O Popular, apresentador e comentarista na Rádio Sagres 730 e presidente da agência Brasil Central (ABC), do governo de Goiás. Comandou a Comunicação de Goiânia (GO) e de Campo Grande (MS).