19 de agosto de 2022
Publicado em • atualizado em 02/08/2022 às 21:47

Vilmar Rocha é a última alternativa do PSD goiano na corrida ao Senado

Vilmar Rocha, presidente do PSD em Goiás
Vilmar Rocha, presidente do PSD em Goiás

Sem o ex-ministro Henrique Meirelles que decidiu permanecer em São Paulo e se filiar ao União Brasil e com a iminente desistência de Lissauer Vieira na disputa ao Senado Federal, o presidente do PSD goiano, Vilmar Rocha se tornou a última alternativa para a legenda consolidar seu projeto de bancar uma candidatura ao Senado nas eleições em 2022. A possibilidade está à mesa da cúpula pessedista de acordo com o apurado pela coluna nesta terça-feira (02/08).

O jornalista e editor do Diário de Goiás, Altair Tavares já cravava no último dia 27 de julho que a saída de Lissauer Vieira da disputa era “iminente” e que o presidente da legenda, Vilmar Rocha aparecia como opção. Hoje, faltando dois dias para a convenção, se torna a última alternativa caso o PSD queira insistir no planejamento de ter candidatura ao Senado. Nunca esteve nos raios pessedistas concorrer a outro cargo que não fosse esse.

Vilmar Rocha negou diversas vezes que o partido estivesse interessado em compor a chapa majoritária de alguma outra força política. É que as especulações sobre a legenda indicar a vice de outros candidatos foram muitas. Houve também a especulação que o senador Vanderlan Cardoso poderia ser candidato ao Governo. “O projeto político do PSD é ao Senado”; “Qualquer que seja a aliança que formos fazer, nós vamos participar com um candidato a senador”; “O partido mira a vaga ao Senado”. Rocha repetiu as mesmas respostas centenas de vezes.

Continua após a publicidade

O futuro de Lissauer ainda é incerto. Fontes no PSD indicam que ele deverá assumir alguma coordenação da campanha do governador Ronaldo Caiado e não irá disputar outro cargo público nessas eleições. Ele irá anunciar a decisão nesta quarta-feira mas ainda não há mais detalhes.

Se a candidatura de Vilmar Rocha sair do campo especulativo, será a segunda vez que o presidente do PSD disputará o mandato de senador. Oito anos atrás, em 2014, o pessedista chegou a disputar o cargo e ficou em segundo lugar.

Na época, apenas uma cadeira estava disponível. Concorreu justamente contra o governador Ronaldo Caiado (União Brasil-GO), que era deputado federal e conquistou o posto. Agora, ao que tudo indica, poderá tentar de novo o pleito. Desta vez, ao lado do democrata. Há movimentos suprapartidários que tentam convencer Vilmar a se lançar com apoio da base governista em uma candidatura avulsa, já que o deputado federal delegado Waldir também deverá confirmar a candidatura.

Continua após a publicidade