28 de novembro de 2023
Publicado em • atualizado em 20/11/2023 às 08:58

O Vila Nova se organizou e não acabou

Estádio Onesio Brasileiro Alvarenga - Vila Nova (Foto - Roberto Corrêa)
Estádio Onesio Brasileiro Alvarenga - Vila Nova (Foto - Roberto Corrêa)

Estou escrevendo esse texto antes da última rodada do Campeonato Brasileiro, quando o Vila Nova Futebol Clube com uma vitória em Natal, diante do ABC, pode conquistar o acesso para elite do futebol nacional. Escrevo agora porque independente do resultado, o contexto não será alterado.

Sempre ouvi uma frase que nunca consegui compreender e aceitar. Algo dito por parte da imprensa e absorvida por torcedores colorados: “o dia que o Vila Nova se organizar, ele vai acabar”.

Leia Também

Só que mudaram a chave no Onesio Brasileiro Alvarenga, quando o clube estava em 2020 na Série C do Brasileirão. O Vila começou a ser planejado não pensando no dia seguinte, mas a longo prazo. A partir daí tudo começou a se encaixar e o trabalho interno, passou a alterar a visão externa.

O Vila Nova se organizou. Administrando e pagando dividas antigas. Deixou de ter ações trabalhistas e conquistou vitórias na esfera jurídica. Salários em dia. Satisfação e comprometimento de quem trabalha por lá. Com poucos recursos, pés no chão e sem a aventuras, o Vila Nova começou a dar passos dentro da sua realidade.

Só que faltava o futebol.

A atual gestão liderada por Hugo Jorge Bravo que veio das arquibancadas para presidência, não conseguiu interromper o longo jejum no Campeonato Goiano. Na Copa do Brasil e Copa Verde foi um período sem grandes feitos. No Brasileiro após dois anos correndo atrás do prejuízo após um início ruim, para evitar o rebaixamento, o Vila Nova pode alcançar a maior façanha da sua história.

Se vencer o ABC vai estar na Série A. Junto com Flamengo, Internacional, Palmeiras, Corinthians, Fluminense, Grêmio e outros gigantes. Mais de 50 milhões de faturamento com televisão, patrocínio e bilheteria na próxima temporada. É um sonho que está muito próximo de ser concretizado.

Uma conquista para ratificar que a organização é um grande começo e que ela é responsável por acabar com apenas o que não é certo.