28 de maio de 2024
Publicado em • atualizado em 17/06/2023 às 14:32

O real motivo de Lula não ter vindo a Goiás

Lula em entrevista a radios goianas (Foto: Reprodução/Youtube)
Lula em entrevista a radios goianas (Foto: Reprodução/Youtube)

Mais de 24 horas após o presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva (PT) ter cancelado a ida para inauguração da Ferrovia Norte-Sul nesta sexta-feira (16), uma série de especulações foram ventiladas tanto por grupos e comunidades em mensagens instantâneas e até mesmo na imprensa

Haviam versões que variam desde o medo do agronegócio e o bolsonarismo latente da região até mesmo a ira de Lula com militares após uma ameaça de golpe ter sido revelada pela Revista Veja.

No entanto, a explicação é uma só e já foi esclarecida pelos meios oficiais da presidência da República: o tempo e apenas o clima ruim que sobrevoava pela região. Tudo além disso, é teoria da conspiração que nos acostumamos a conviver em tempos de pós-verdade e redes sociais.

O aeroporto de Rio Verde não opera por aparelhos, o que torna difícil pousos em tempos nebulosos. Não é como aeroportos comerciais com estrutura de navegação de voo e orientações precisas sobre como se dará cada aterrissagem. Por isso, qualquer mudança temporal pode mudar todo o planejamento de um voo. 

De acordo com o apurado pela coluna, até mesmo o governador Ronaldo Caiado (União Brasil) teve dificuldades em chegar a Rio Verde e por pouco também não cancelou a participação. “Caiado chegou num helicóptero pequeno e por pouco não teve de voltar”, explicou. O assunto ficou tão pacíficado que o gestor compreendeu os motivos e não houve desconforto com o cancelamento, como outros chegaram a ventilar.

“Não fazia nenhum tempo anormal, mas em momentos assim, qualquer nevoa baixa impede descer. As vezes acontece quando a gente vai pro interior ter de voltar quando o tempo está assim”, disse uma fonte que acompanha o governador Ronaldo Caiado em suas viagens. Era esse o cenário que Lula encontrou. “Ele estava de avião. Seria impossível descer”, explicou.

Outra fonte ligada ao presidente da República destacou que não faz sentido a ira com os militares. “Quem faz a segurança dele são policiais federais. O que saiu na revista não faz muito sentido”, salientou. “Ele estava com o ex-presidente José Sarney, movimentou diversos ministros para irem consigo. Tudo estava certo para ir. Não teve isso de ira com militares tampouco medo do agronegócio. Foi só a questão do tempo mesmo que impediu a ida”, pontuou. 

Domingos Ketelbey

Jornalista e editor do Diário de Goiás. Escreve sobre tudo e também sobre mobilidade urbana, cultura e política. Apaixonado por jornalismo literário, cafés e conversas de botequim.