20 de maio de 2022
Publicado em

Em alerta, PSD terá reunião para convencer Lissauer a manter candidatura

Senador da República, Vanderlan Cardoso afirma que legenda terá nova conversa com Vieira, mas respeitará decisão do deputado
Lissauer Vieira em entrevista ao Diário de Goiás (Foto: Arquivo/Leoiran/DG)
Lissauer Vieira em entrevista ao Diário de Goiás (Foto: Arquivo/Leoiran/DG)

Desde que o nome do presidente da Assembleia Legislativa, Lissauer Vieira (PSD) foi colocado à mesa para ocupar uma cadeira no Tribunal de Contas do Estado e abandonar a pré-candidatura a deputado federal, a sensação para os rumos de seu partido é de apreensão mas de acordo com o senador da República, Vanderlan Cardoso, a toalha não foi jogada de lado e a cúpula da legenda terá reunião para convencê-lo a se filiar ao partido e disputar o mandato.

De acordo com o senador da República, Vanderlan Cardoso ao blog Altair Tavares nesta segunda-feira (14/03), o PSD não desistiu do presidente da Alego e que no momento pré-eleitoral esse tipo de circunstância é natural. “É um momento de discussão. Todas as eleições são assim. Quando é data para mudança de partido e formação de chapas é dessa maneira. Não desistimos do Lissauer Vieira. O PSD, inclusive, vai ter uma reunião com ele. Estamos marcando e vendo a agenda dele. Não desistimos da filiação dele e que ele venha a disputar. Mas a gente respeita o momento, é uma decisão do próprio deputado Lissauer”, disse.”

Acontece que a vaga que Lissauer mira é sedutora. Cargo vitalício no TCE, rendimentos mensais atrativos e sem a pressão que a política partidária impõe na vida do parlamentar. O próprio Vieira já pontuou que são indicativos que podem demovê-lo do projeto. “A possibilidade de ir para o TCE é uma forma de continuar contribuindo com o Estado e também estar mais próximo da minha família e dos negócios”, informou a assessoria com palavras do presidente da Alego.

Continua após a publicidade

De acordo com o diretor de redação do Diário de Goiás, Altair Tavares trata-se de uma “manobra indecente”. Correto seria se Lissauer Vieira permanecesse no mandato e rumasse com seu planejamento rumo a candidatura para a Câmara dos Deputados e o conselheiro do Tribunal de Contas do Estado lá continuasse até se aposentar. Resta saber se a cúpula do PSD irá conseguir fazer com que Lissauer desista de desistir.