25 de junho de 2022
Publicado em • atualizado em 18/11/2021 às 21:09

Eleições OAB-GO: Última pesquisa mostra Lara na liderança com 32,4%; Pedro Paulo, 25,2%

Campanha foi intensa e termina amanhã (19/11)
Campanha foi intensa e termina amanhã (19/11)

Nas vésperas para a realização das eleições da Ordem dos Advogados do Brasil – Seccional Goiás, o Instituto Serpes, divulgada nesta quinta-feira (18/11), mostra que o acirramento entre o candidato da situação, Rafael Lara, e o criminalista Pedro Paulo de Medeiros será intenso. 

No levantamento estimulado, Lara tem os mesmos 32,4% da penúltima pesquisa encomendada pelo Diário de Goiás no dia 31 de outubro. Pedro Paulo que na ocasião tinha 27,4% apresentou perda do eleitorado entrevistado e agora tem 25,2%.

Quem mostrou crescimento proporcional mas não a ponto de incomodar a polarização Lara-PP foi o atual presidente da Caixa de Assistência dos Advogados em Goiás (Casag), Rodolfo Mota que neste levantamento aparece com 13,7% enquanto a conselheira federal, Valentina Jungmann soma 9,7% das intenções de votos para o pleito. 

Continua após a publicidade

A pesquisa estimulada é aquela que o instituto apresenta os nomes dos candidatos para que o entrevistado possa responder a pergunta. Nesse cenário, a margem de indecisos continua alta: 14,2%, 1,3% menor que o último levantamento enquanto  aumentou o número daqueles que anulariam o voto: 1,0%. Na pesquisa anterior este número era de 0,5%. 0,7% não votam em ninguém

Pesquisa espontânea; cenários semelhantes

Na pesquisa espontânea, que é quando o Instituto não apresenta o nome dos candidatos, as posições não mudam mas os números são outros, inclusive em relação à pesquisa anterior. Rafael Lara se mantém na liderança com os mesmos 29,7% da rodada passada enquanto Pedro Paulo aparece mais atrás Desta vez ele diminuiu o ritmo e não conseguiu mais votos, estando com 21,4%. 

Continua após a publicidade

Na rodada passada, o criminalista aparecia na cola de Lara com 25,7%. Rodolfo Mota e Valentina Jungmann, numa distância considerável para a dupla que lidera os levantamentos, possuem 13,7% e 10,2%, respectivamente. Novamente, eles conseguiram se fortalecer e aparecer em melhores números que o levantamento anterior, mas não o suficiente para ameaçar a polarização Rafael-Pedro Paulo. 

Neste cenário, há margem daqueles que estão indecisos e poderiam votar em quaisquer um dos candidatos também se mantém alta: 22,4%. Não vota em nenhum, 1,7%; anulariam ou votariam em branco, 0,7%.

Votos válidos: desconsiderando nulos, brancos e indecisos

Se houver desconsideração dos votos brancos e nulos e indecisos apenas contando os votos válidos o cenário se repete. Rafael Lara venceria com 38,6% e Pedro Paulo de Medeiros teria 30,0%. Na cola de ambos, aparece Rodolfo Mota, com 16,3% e Valentina Jungmann, num empate técnico com 15,1%.

Rejeição: 43,% dos entrevistados não rejeita ninguém

A pesquisa também levou em conta a rejeição dos candidatos ao longo do pleito. Neste caso, o Instituto Serpes pergunta ao advogado qual nome ele não votaria de forma alguma. Rafael Lara lidera o índice com 21,7% enquanto Pedro Paulo de Medeiros não seria votado por 20,7% dos entrevistados. 

Rodolfo Mota e Valentina Jungmann aparecem na sequência com 8,0% e 5,2%, respectivamente. 43,6% não rejeitam ninguém enquanto 6,0% não souberam responder. Neste cenário, as respostas eram estimuladas e múltiplas, daí, a possibilidade de ultrapassar os 100% do resultado total. 

Avaliação da Administração

O levantamento também ouviu a avaliação dos advogados diante da gestão administrativa do atual presidente Lúcio Flávio de Paiva. 47,7% dos entrevistados consideram que Paiva faz uma boa condução da entidade. Entre estes, 18,5% veem como ótima, enquanto 29,2%, a consideram boa. 28,4% têm a percepção que ela está regular.

A avaliação negativa do presidente Lúcio Flávio chega a 19,9%, com 8,7%, avaliando de forma ruim e outros 11,2% considerando péssima.

Metodologia da pesquisa

O Instituto Serpes ouviu 401 advogados em Goiás, entre os dias 17 e 18 de novembro, todos por telefone e foi encomendado pelo Jornal Opção. A margem de erro do levantamento é de 4,9 pontos percentuais para  mais ou para menos nos dados da amostra global. 

(Com edição de Domingos Ketelbey)

Altair Tavares

Editor e administrador do Diário de Goiás. Repórter e comentarista político.