12 de agosto de 2022
Eleições 2022

Ciro Gomes diz que apoia Ronaldo Caiado em Goiás e que está à espera do PSD e União Brasil para definir vice

Gomes disse que espera contar, em seu palanque, com nomes da centro-direita como José Agripino e Ronaldo Caiado, ambos do União Brasil
Ciro Gomes explica articulações do PDT com o PSD e o União Brasil (Foto: Reprodução/Globonews)
Ciro Gomes explica articulações do PDT com o PSD e o União Brasil (Foto: Reprodução/Globonews)

Entre as peças do tabuleiro político para as definições das composições na chapa majoritária, o ex-governador do Ceará e candidato a presidente da República, Ciro Gomes (PDT) disse na noite desta quarta-feira (28/07) que espera as movimentações de partidos como o PSD, de Gilberto Kassab e do União Brasil de Luciano Bivar e Ronaldo Caiado para sacramentar o nome do candidato ou candidata a vice pela chapa.

A declaração foi dada à Globonews no programa “Central das Eleições”. Apesar de garantir ter um programa de governo vinculado à centro-esquerda, Ciro Gomes busca um nome para atrair o eleitorado conservador e vê tanto no PSD como no União Brasil possibilidades para isso. “Eu tenho duas portas abertas que explicam o porque eu não fechei o vice ou a vice. O União Brasil que tem o Bivar como candidato tem algumas alianças comigo, por exemplo, ACM Neto na Bahia. Nós somos parceiros, ganhamos a eleição no primeiro turno lá. O PSDB de Natal, saimos com a vice de lá”, pontuou. 

LEIA TAMBÉM: PDT aprova em convenção nome de Ciro Gomes para disputar Palácio do Planalto

Continua após a publicidade

Ciro mencionou em duas ocasiões o governador de Goiás. Relembrou que em 2018 apoiou a candidatura caiadista nas eleições e que permanece andando com o democrata em terras goianas. “Temos um punhado de relações. Nós apoiamos o Ronaldo Caiado e continuamos apoiando. Nós o apoiamos”, pontuou.

Questionado se o fato de Caiado ser um governador de direita não seria um contrasenso ao programa de centro-esquerda de Ciro Gomes, o presidenciável ressaltou que seu plano é maior que a polarização e pode representar a união. “O Zé Agripino, no Rio Grande do Norte, que foi meu colega, é uma relação pessoal de respeito. Foi um governador arejado. O Ronaldo Caiado veio da UDR mas já votou em mim em outra eleição. O Mauro Mendes e o ACM Neto são super arejados, não dá para dizer que são de direita. O meu projeto propõe uma aliança de centro-esquerda. Eu quero unir um Brasil que produz com um Brasil que trabalha”, pontuou.