logomarcadiariodegoias2017

Pessoas fazendo atividades físicas no Pq Vaca Brava (Foto: Prefeitura de Goiânia)
caminhada vaca braca
Goiânia apresenta o 3º menor índice de obesidade do país com 15% da população adulta considerada obesa. Os melhores índices são de Florianópolis (SC) com 14,3% e São Luís (MA) com 14,6%. Campo Grande (MS) é a capital com maior número de pessoas obesas: com 21,8%. A média brasileira é de 17,9%.

Os dados são do levantamento do Ministério da Saúde feito por meio da última pesquisa de Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel), de 2014. No levantamento anterior, Goiânia tinha um índice de 16,3%.

Motivos da queda

De acordo com a gerente de Doenças e Agravos Crônicos Não-Transmissíveis da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), Adacy Macedo, a queda se deve ao aumento na atividade física em Goiânia. Houve ainda diminuição do sedentarismo de 14,8% para 13,9 %.

Além da queda do sedentarismo, segundo Adacy Macedo, outro motivo foi a diminuição do consumo de refrigerante, que caiu de 30,1% para 26,9%.

População acima do peso

Se por um lado a obesidade apresentou queda, o sobrepeso na capital teve uma leve alta, de 47,5% para 49,5%, ou seja, quase a metade da população está acima do peso. No Brasil, o índice é de 52,5%.

Segundo Adacy Macedo, o sobrepeso e a obesidade estão relacionados ao modo de vida das populações modernas, que consomem cada vez mais alimentos processados, ricos em açúcares, gorduras e sódio, e com baixo teor de fibras.

As mudanças do padrão alimentar aliadas à reduzida atividade física contribuem diretamente para o desequilíbrio de peso entre as pessoas.

Apesar do aumento no índice de pessoas que estão acima do peso, entre as capitais pesquisadas, Goiânia demonstra o 5º melhor percentual do Brasil.

Sugestões e críticas, mande um Zap para a Redação

whatsapp 512

62 9 9820-8895

+ SAIBA MAIS, PESQUISE NO DG

SEARCH