26 de maio de 2024
LEVANTAMENTO

Centro-Oeste é a região em que menos pessoas acham que a violência aumentou, aponta pesquisa

Segundo levantamento da Quaest, 55% dos moradores do Centro-Oeste afirmam já terem sido assaltados, roubados ou furtados alguma vez na vida
quando questionados sobre conhecerem alguém que já foi vítima de algum dos crimes, 85% responderam que sim. (Foto: Reprodução)
quando questionados sobre conhecerem alguém que já foi vítima de algum dos crimes, 85% responderam que sim. (Foto: Reprodução)

Uma pesquisa da Quaest em parceria com a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) aponta que a segurança pública é um problema que ainda tira o sono da população. Segundo o levantamento, 51% dos brasileiros afirmam já terem sido assaltados, furtados ou roubados ao menos uma vez na vida, enquanto 85% dos entrevistados conhecem alguém que já foi vítima de algum desses crimes.

De acordo com a pesquisa, a sensação de insegurança cresceu, uma vez que oito em cada dez brasileiros veem agravamento da violência no país em 12 meses. Além disso, 81% avaliam que a segurança pública e crime organizado são problemas nacionais e 83% avaliam que as facções têm ganhado força.

No Centro-Oeste 55% afirmam já terem sido assaltados, roubados ou furtados alguma vez na vida, enquanto 45% responderam que não. Já quando questionados sobre conhecerem alguém que já foi vítima de algum dos crimes, 85% responderam que sim, enquanto 14% que não.

Um outro ponto analisado é o aumento da violência em 12 meses, em que 69% dos moradores do Centro-Oeste analisam que aumentou, enquanto 20% dizem que permanece igual, 6% que diminuiu e 5% não responderam ou não sabem. Se considerarmos o Brasil, 79% acham que aumentou, 15% que ficou igual, 4% que diminuiu e 2% não sabiam ou não responderam.

Violência e crime organizado

Segundo o cientista político da Quaest e professor da UFMG, Felipe Nunes, uma das razões para a discrepância é a influência de outras pessoas, noticiário e redes sociais. “Está se consolidando a ideia de que o problema maior não é o pequeno furto ou assalto, mas a estrutura do crime organizado”, diz.

No Brasil, a pesquisa aponta que 81% percebem que a violência e o crime organizado são problemas nacionais, 16% que é local e 2% não sabem ou não responderam. Em relação ao Centro-Oeste, a percepção é basicamente a mesma, 83% responderam que é problema nacional e 16% que é de alguns lugares.

Quando questionados sobre o crescimento do crime organizado, 83% dos brasileiros responderam que cresceu, 11% que está constante, 3% que diminuiu. Sobre o profissionalismo e preparação dos bandidos, 93% concordaram, enquanto 1% se manteve neutro e 4% discordaram.

Atuação dos governadores

Em relação a como os governantes têm trabalhado na segurança pública, 35% dos brasileiros avaliam como positiva a atuação, enquanto 34% consideram regular e 23% negativo. No Centro-Oeste, 48% consideram positiva, 37% regular e 10% negativa.

As principais medidas que poderiam melhorar a segurança e diminuir a violência, segundo os brasileiros, seriam o aumento do policiamento nas ruas (33%), ter leis mais rígidas (9%), educação (8%), polícia prender os bandidos (4%), combater o tráfico e o crime organizado (4%) e treinar melhor a polícia (3%).


Leia mais sobre: / / / / / Brasil

Maria Paula

Jornalista formada pela PUC-GO em 2022 e MBA em Marketing pela USP.