19 de julho de 2024
Economia • atualizado em 17/12/2023 às 15:01

Ceia de Natal fica 8,9% mais cara em 2023; saiba como economizar

O economista Euripedes Junior, afirma que a principal dica na hora de economizar para a ceia de Natal é a boa e velha pechincha
Na comparação entre as regiões do país feita pela Abras, o menor preço constatado foi verificado no Centro-Oeste. (Foto: Freepik).
Na comparação entre as regiões do país feita pela Abras, o menor preço constatado foi verificado no Centro-Oeste. (Foto: Freepik).

Segundo uma pesquisa da Associação Brasileira de Supermercados (Abras), em 2023 o preço da cesta de Natal está mais cara. Com um valor em média de R$ 294,75, uma cesta composta por 10 itens tradicionais como panetone, pernil, peru, tender e espumante está 8,9% acima do cobrado no ano passado. Conforme o economista Euripedes Junior, a principal dica na hora de economizar para a ceia de Natal é a boa e velha pechincha. 

O economista explica que no Natal a procura por alimentos aumenta e isso faz com que os preços subam, dado a lei natural da oferta e demanda. ” Esse ano tivemos os efeitos climáticos com fortes chuvas no Sul e seca em outras regiões, o que impactou a oferta de outros produtos, como o arroz por exemplo. Então todos os estão sofrendo o impacto. A opção é pesquisar, pesquisar e pesquisar”, inicia em entrevista ao Diário de Goiás

“Seja através de anúncios de supermercados, ou visitando alguns. Faz compras nos atacadistas, junto com a família, por exemplo, também funciona”, orienta Euripedes para uma pesquisa eficiente nas compras de Natal. “Buscar aqueles atacarejos é uma opção. Lá normalmente é sempre mais barato do que o mercado, até pelo volume que eles compram. Então ir direto lá acaba sendo uma opção. Mas o melhor é sempre pesquisar”, completa. 

Economia no Natal

Na comparação entre as regiões do país, o menor preço constatado pela pesquisa realizada entre os dias 10 e 23 de novembro, foi verificado no Centro-Oeste, R$ 313,30. Em seguida o Sudeste, R$ 316,84, e no Norte, o preço está na média de R$ 320,43. As cestas de Natal mais caras foram encontradas no Sul (R$ 333,44) e no Nordeste (R$ 321,65).

Ainda segundo a pesquisa da Abras, mesmo com o aumento dos preços, 62% dos supermercadistas acreditam que o consumo no Natal deste ano será superior ao do mesmo período do ano passado. Na categoria de bebidas, o consumo deve aumentar 12,3%, em itens como cervejas e vinhos nacionais e internacionais. 

Na cesta de proteínas, o crescimento estimado é de 10,1%, com produtos de época, principalmente as aves natalinas, bacalhau, carnes bovinas, frango, lombo, ovos, peixe, pernil, peru e tender.


Leia mais sobre: / / / Notícias do Estado

Elysia Cardoso

Jornalista formada pela Uni Araguaia em 2019