03 de março de 2024
Cidades

Na tentativa de encontrar soluções para o transporte coletivo, CDTC dá início a inédito ciclo de reuniões

{nomultithumb}

Algo anormal acontece embaixo do céu goianiense. É que algumas coisas são raras de se ver. Por exemplo: ônibus do transporte público cumprindo com horários estabelecidos, filas organizadas em Terminais e a Câmara Deliberativa de Transportes Coletivos se reunir mais de uma vez dentro do mesmo ano. Não faz nem um mês, no dia 17 de abril, membros da Câmara estavam reunidos estabelecendo o aumento de R$ 0,30 centavos na passagem. Hoje, eles voltaram a se encontrar para entre outras coisas, discutir melhorias no transporte coletivo.

Foi a primeira vez, em cinco anos, que a CDTC se reuniu sem que a pauta fosse o reajuste na tarifa, mas uma análise ampla do cenário tendo em vista alcançar serviços de qualidade. O encontro foi realizado no Centro Administrativo da Prefeitura de Trindade e já sinalizou o próximo, a ser realizado no dia 17 de junho, na Câmara Municipal de Goiânia. “Vamos trabalhar durante todo o ano para que as melhorias aconteçam no transporte coletivo”, disse Jânio Darrot (PSDB), prefeito de Trindade e presidente da CDTC.

O vereador Lucas Kitão (PSL) disse que foram discutidos pontos e salientou positivamente a nova reunião que será realizada em junho. Neste período, os membros da CDTC vão “compilar propostas e sugestões para deliberar propostas que serão apresentadas ao governador Ronaldo Caiado (DEM) e prefeitos da Região Metropolitana de Goiânia. “A gente discutiu todos os pontos e resolvemos que uma próxima reunião será realizada no dia 17 de junho, até lá vamos compilar as propostas, sugestões e textos para deliberar quais delas vão ser incluídas nas propostas que que serão formuladas para levar ao governador e os prefeitos da Região Metropolitana”, mencionou.

Questionado sobre quais eram os principais temas, Kitão respondeu: “A retomada da bilhetagem para o poder público, o fortalecimento da CMTC para aumentar a fiscalização e a gestão do transporte ou até criação de um órgão novo pra isso”, ressaltou. A criação de um novo fundo para subsidiar o transporte também foi debatida. “Eu vejo como uma boa saída a criação de alternativas para custear o transporte coletivo”, mencionou. O subsídio, segundo Kitão é pode ser algo fundamental para a salvação do transporte público na Região Metropolitana de Goiânia.

Para Kitão, o poder público não deve se furtar com relação ao debate. “Onde o transporte público deu certo no mundo, teve ajuda do poder público”, salientou. “O envolvimento das autoridades para o centro dos problemas e das soluções. Só vamos conseguir implementar essas novas propostas se tivermos o aval e a confiança do governador e das maiores prefeituras”.

Na reunião, o presidente da CDTC, Jânio também abriu o debate para discutirem sobre a realidade vivida pela Metrobus, cujos colaboradores ameaçam entrar em greve. O presidente da CDTC projeta o próximo encontro, em Goiânia, com encaminhamentos concretos a partir de estudos mais avançados sobre procedimentos no âmbito jurídico e operacional. “Estamos dispostos a lutar para construir um sistema voltado para o usuário”, destaca.

Kitão também demonstrou sua preocupação com os rumos da estatal. Caso a privatização seja consumada o vereador tem receio em perder o acesso a informação das contas públicas e a precarização das condições dos trabalhos dos motoristas podem aumentar. “Vamos perder ainda mais o acesso a informação. Tenho receio de precarizar ainda mais a situação do trabalhador”. Lucas lembra que há quatro anos, a extensão percorrida pela empresa era de aproximadamente 13 quilômetros. Hoje, a Metrobus com as extensões para Senador Canedo, Trindade e Goianira chegam a 72 quilômetros e voltou a se referir à criação Fundo de Receitas para subsidiar o transporte. “”A questão da saúde financeira [da Metrobus] depende de um subsidio do Governo. A dificuldade é fechar esse buraco [das extensões] sem passar isso pro usuário. Por isso essa corrida pelo fundo e por receitas que subsidiariam essa tarifa”, conclui.

 


Leia mais sobre: / / / / / / / / / / Cidades

Domingos Ketelbey

Jornalista e editor do Diário de Goiás. Escreve sobre tudo e também sobre mobilidade urbana, cultura e política. Apaixonado por jornalismo literário, cafés e conversas de botequim.